Toyota revela versão redesenhada de sedã movido a célula de hidrogênio

Novidade é aposta da montadora japonesa para enfrentar a Tesla

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
ReproduçãoForbes
ReproduçãoForbes

Antes do salão do automóvel de Tóquio, a Toyota revelou um protótipo de um sedã híbrido movido a hidrogênio

Acessibilidade


A Toyota revelou hoje (10) uma versão completamente remodelada de um sedã movido a célula de hidrogênio, na mais recente tentativa da companhia de recuperar demanda pela tecnologia.

A maior montadora de veículos do Japão tem desenvolvido veículos movidos a hidrogênio há mais de duas décadas, mas a tecnologia tem sido eclipsada pela rápida ascensão dos carros movidos a baterias, como os da norte-americana Tesla.

VEJA MAIS: Jaguar Land Rover lança dois novos carros de luxo no Brasil

Antes do salão do automóvel de Tóquio, que começa em 24 de outubro, a Toyota revelou um protótipo de um sedã híbrido movido a hidrogênio construído na mesma plataforma do cupê LS, da Lexus. O modelo Mirai tem mais autonomia que seu predecessor e teve tanques de hidrogênio remodelados, afirmou a montadora.

O novo modelo tem autonomia 30% maior que os cerca de 700 quilômetros do modelo anterior, segundo a companhia. O Mirai anterior tinha preço de 5 milhões de ienes (US$ 46.500 mil) após subsídios no Japão. Além da Toyota, a Honda tem um modelo a hidrogênio, o Clarity, e a Hyundai vende o Nexo.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Toyota vendeu menos de 10 mil unidades do Mirai, sedã que tinha a promessa de mudar o setor quando foi lançado há cinco anos. Em contraste, a Tesla vendeu 25 Modelos no primeiro ano e meio de lançamento.

A Toyota não informou o preço do novo modelo e afirmou que ele estará disponível a partir do final do próximo ano no Japão, América do Norte e Europa.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Compartilhe esta publicação: