Conheça um novo, exclusivo e luxuoso tour pelas belezas africanas

Divulgação ROAR AFRICA
Divulgação ROAR AFRICA

A Roar Africa oferece planos que combinam as belas vistas da natureza africana com luxo e requinte

A Roar Africa geralmente está na vanguarda quando o assunto é de viagens ultra-luxuosas à África, como evidenciado pelo recente lançamento do programa de maiores sucessos do continente por US$ 125 mil: o “Greatest Safari on Earth”. Portanto, não é de surpreender que a CEO e fundadora Deborah Calmeyer esteja anunciando o Roar Privé, no qual todos os aspectos da viagem serão exclusivos para famílias ou pequenos grupos viajando juntos. As viagens podem começar no momento em que as fronteiras se abrirem para o turismo internacional. Ruanda está programando abrir em 1º de julho, a África do Sul em 1º de setembro. Botsuana, Zâmbia e Madagascar, os outros países em que os itinerários estão planejados, ainda não têm datas de abertura.

Aparentemente, essa divisão está em andamento há algum tempo, segundo Calmeyer. “Isso nasceu da previsão do futuro das viagens e da compreensão do que nossos clientes vão querer ao viajar para a África”, diz ela. “O atual impacto humanitário e econômico devastador da Covid-19 nos forçou a reimaginar as viagens de novo, com itinerários mais inteligentes, pegadas menores e os tipos de experiências transformadoras que estimulam a empatia, a mente aberta e a conexão entre aqueles que viajam e as comunidades que se beneficiam com isso.” Uma porcentagem de todos os lucros será investida em programas de conservação.

LEIA MAIS: Lamborghini está prestes a lançar seu veículo mais rápido

A chave do plano é uma aliança com a VistaJet, empresa global de aviação privada, e o uso de terminais aéreos privados em todos os pontos de trânsito: os convidados viajam de maneira privada a partir de Nova York, Londres ou Paris nas aeronaves Bombadier Global 6000 da VistaJet e, na África, em aeronaves ou helicópteros Pilatus PC12. Também é importante lembrar, já que alguns viajantes ainda podem estar receosos de viajar para uma região com diferentes unidades de saúde, é a inclusão de acesso a centros médicos de alto padrão em Joanesburgo, equipados para lidar com os piores cenários biológicos, como Ebola e Covid-19, se necessário.

Os itinerários incluem villas privadas ou aluguel de pousadas e acampamentos. Um exemplo de itinerário na África do Sul incluiria três dias no Tswalu Kalahari, com 271.816 acres, a maior reserva de caça particular da África do Sul, com 80 espécies de mamíferos, e três dias em Sabi Sands, a reserva privada de 45 mil acres original do país na fronteira com o Parque Nacional Kruger.

Em Tswalu Kalahari, o alojamento se chama Tarkuni, a antiga casa da família Oppenheimer, anteriormente uma grande força no comércio de diamantes do país e defensores de longa data da conservação. A casa tem cinco suítes e uma equipe particular com rastreadores capazes de levar os hóspedes em passeios de carro ou em trilhas para observar o indescritível rinoceronte preto. Os safáris a cavalo também podem ser organizados com o tradicional pôr do sol ao entardecer, com chances de uma visita inesperada de um grupo de suricatos nativos.

Em Sabi Sands, os hóspedes ficam em Singita Castleton, a antiga casa familiar do fundador de Singita, Luke Bailes, composta por uma casa principal com áreas comuns e seis cabanas de barro e palha. Os safáris podem ser de caminhadas pelo mato ou em veículos, mas dada a sua localização perto de um poço de água, os hóspedes podem ver a vida selvagem apenas na casa principal. Uma quadra de tênis privada também está disponível para os que desejam treinar. Destacam-se as refeições aqui: Singita, como um grupo, é conhecido pela extraordinária culinária e seleção de vinhos e ambos os aspectos estão disponíveis aqui.

LEIA TAMBÉM: O antigo complexo da família Kennedy em Palm Beach é vendido pela bilionária Jane Goldman por US$ 70 milhões

Pensando na abertura de outros países: o itinerário de seis dias para Zâmbia e Madagascar incluirá três dias no Time + Tide Chinzombo no Parque Nacional Luangwa, com 5.656 km², uma reserva com uma concentração densa e variada de animais silvestres, e três dias de exuberância no ecossistema da conservação marinha de 37.066 acres ao redor do Time + Tide Miavana em Madagascar. Outro itinerário em Botsuana oferece três dias no Selinda Explorers Camp, no santuário de vida selvagem privado de 300 mil acres da Selinda Reserve e três no Duba Explorers Camp, no coração do Delta do Okavango, Patrimônio da Unesco, um dos locais mais ricos em vida selvagem do continente em geral.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).