Como o Alentejo, em Portugal, utiliza a sustentabilidade para produzir vinhos premium

Divulgação - Michelle Williams/ Forbes
Divulgação - Michelle Williams/ Forbes

Programa sustentável da região representa 45% da área de vinhedos alentejanos

À medida que eventos climáticos cada vez mais voláteis impactam as regiões vinícolas globais, a produção evolui, de forma a atender às necessidades do presente sem comprometer a mesma capacidade das gerações futuras –isso é sustentabilidade.

Nos últimos três anos, Portugal, quarto maior país na produção mundial de uvas e nono na produção de vinho, enfrentou incêndios florestais violentos, secas e inundações catastróficas e temperaturas escaldantes. Então, como as regiões vinícolas globais podem se proteger contra uma miríade de impactos das mudanças climáticas?

LEIA MAIS: Saiba mais sobre a herança afro-americana do bourbon

“A sustentabilidade é o novo paradigma do século 21. Os produtores que não fizerem da sustentabilidade uma parte central do seu modelo de negócio ficarão progressivamente desatualizados, marginalizados pelos consumidores e, possivelmente, através de novas políticas internacionais”, explica João Barroso, Coordenador de Sustentabilidade Vinhos do Alentejo.

Para promover práticas sustentáveis ​​nas vinhas, adegas e comunidades, a região vinícola de Alentejo em Portugal, a cerca de uma hora de Lisboa, lançou o Programa de Sustentabilidade dos Vinhos de Alentejo (PSVA) em 2015. Em cinco anos, o programa representa 45% da a área de vinhedos da região e todas as suas principais vinícolas, tornando-se um modelo para futuros programas semelhantes em todo o mundo.

Como em qualquer outro programa de voluntariado, a missão do PSVA é aumentar a viabilidade econômica por meio de uma abordagem pró-ativa na construção de proteções ambientais no vinhedo e na adega, bem como ajudar no desenvolvimento social da comunidade.

As iniciativas protegem as vinícolas por meio da utilização de permacultura, animais, redução de pulverização e composto; energia verde renovável, redução do uso de água e reciclagem, e também, ajuda a comunidade por meio de doações escolares e treinamento de sustentabilidade para residências.

O foco é melhorar o impacto ambiental e as comunidades em volta por meio de medidas sustentáveis, elevando ainda mais a qualidade do vinho.

LEIA MAIS: 5 uísques escoceses entre os mais caros do mundo

Embora todos os vinhos de Alentejo ofereçam alta qualidade por um preço baixo, apoiar as vinícolas PSVA, também ajuda a encorajar mais práticas sustentáveis ​​na região e globalmente.

A seguir veja os cinco vinhos que usam as filosofias do programa:

Divulgação - Michelle Williams/ Forbes

Cinco vinícolas do Alentejo que utilizam o programa de sustentabilidade PSVA

2018 Herdade do Esporão Colheita Branco: um blend de Antão Vaz, Viosinho, Alvarinho e outros; tem citrinos, fruta tropical, fruta de caroço madura, com ligeiras notas vegetais; complexo, elegante, nítido com final longo.

Iniciativa PSVA: desenvolveu uma adega de teste para determinar quais as 180 variedades de uva mais adequadas para resistir às alterações climáticas.

2018 Herdade de São Miguel do Sul Tinto: uma mistura de 50% Aragonez, 30% Alicante Bouschet, 15% Trincadeira, 5% Cabernet Sauvignon, tem aroma de frutos vermelhos e pretos, especiarias quentes, terra poeirenta, tabaco; rico e exuberante com sensação na boca sedosa e com um final redondo e longo.

Iniciativa PSVA: uso de ovelhas para controlar ervas daninhas da vinha, reduzindo a necessidade de pesticidas

2017 Herdade de Coelheiros Tinto: 50% Alicante Bouschet e 50% Aragonez, tem ampla fruta vermelha, especiarias quentes, alcaçuz, fumo, pimenta preta; rico e denso na sensação de boca aveludada, acidez redonda, com um final longo e vibrante.

Iniciativa PSVA: incentiva os habitats dos morcegos nas vinhas por meio de abrigos para morcegos e do crescimento de grama e ervas daninhas entre as videiras para combater insetos indesejados.

2014 Reguengos Garrafeira dos Sócios: um blend de 65% Alicante Bouschet, 20% Touriga Nacional e 15% Tinta Caiada, tem fruta preta, figo mostarda, especiarias quentes, pimenta preta, fumo, terra poeirenta; em camadas e refinado, elegante, taninos de grão fino, com um final longo.

Iniciativa PSVA: compostagem de todos os resíduos orgânicos do processo de vinificação e o uso painéis solares.

2018 Herdade dos Grous: um blend de 35% Alicante Bouschet, 35% Aragonés, 20% Touriga Nacional, 10% Syrah, tem camadas de fruta, especiarias, terra poeirenta, fumo, curada, pimenta preta, paladar forte, paladar suave, complexo, robusto, longo e mastigável.

Iniciativa PSVA: redução do peso da garrafa de todos os vinhos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).