W Hotel Miami Beach oferece vista privilegiada de todas as suas suítes

Com localização privilegiada, em South Beach, é possível até esquecer o carro.

Antonio Camarotti, com reportagem de Cintia Esteves
Compartilhe esta publicação:

Miami Beach, irmã mais nova de Miami, chega aos 99 anos com status de um dos maiores hotspots do mundo. Considerada a Riviera americana, South Beach — ou SoBe para os mais íntimos — atrai cada vez mais gente do mundo inteiro em busca de suas praias de areia branca com água verde cristalina e temperaturas tropicais durante quase todo o ano.

Acessibilidade


VEJA TAMBÉM: Como vivem os milionários em Miami Beach

Mais do que a beleza natural, a cidade tem se destacado por ser endereço de alguns dos mais sofisticados e badalados hotéis, restaurantes e casas noturnas na costa leste norte-americana. Prédios luxuosos e modernos contrastam com arquitetura art déco e museus. A sofisticação de South Beach traz consigo uma competição ferrenha para atrair a atenção do público seleto e exigente.

Veja mais detalhes do W Hotel Miami Beach:

  • Na minha última passagem pela cidade, hospedei-me em um dos mais conhecidos endereços do público brasileiro, o W South Beach. Confesso que tive uma grata surpresa. Surpresa, principalmente, porque ele não é um empreendimento novo. Inaugurado em 2009, o hotel já faz parte da paisagem da cidade. Já tinha estado lá algumas dezenas de vezes, seja para ir ao delicioso Mr. Chow — restaurante chinês que é unanimidade entre os que, assim como eu, apreciam a culinária chinesa com os toques ocidentais do genial Michael Chow — ou para participar de algum dos muitos eventos que acontecem na belíssima área da piscina. Também já tinha passado pelo W para tomar um drinque no lounge bar do “Living Room”, nome pelo qual o lobby é conhecido, e para dançar até os primeiros raios de sol na boate Wall.

  • Quer dizer… eu já tinha feito de tudo um pouco no W, menos o principal: me hospedar lá! Talvez tenha sido pelo fato de que — como a maioria dos capricornianos — eu seja conservador nas escolhas. Pode ser o prato de um restaurante ou um quarto de hotel: quando gosto de algo, é muito difícil mudar minha opinião. Já tinha uma escolha na região e não trocava de endereço há algum tempo. Que bom que o fiz!

    Inscreva-se para receber a nossa newsletter
    Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.
  • O W é composto por 408 acomodações, sendo 59 delas residências. Assinado pelo escritório Costas Kondylis, de Nova York, o hotel foi projetado para que todas suas suítes ficassem posicionadas em um ângulo de 25 graus e garantissem aos seus hóspedes uma vista perfeita do mar. Ou seja: independentemente da unidade, haverá sempre o que hoje — com o advento das redes sociais — ficou conhecido como um room with a view ou um “quarto com vista”, no nosso português. E que vista! Todas as suítes do hotel têm um cenário espetacular à sua espera. Acho que nem cabe chamar as acomodações de quartos… são todos enormes.

  • As suítes mais luxuosas são as Penthouse. Do 20º andar, a vista é mais deslumbrante ainda, graças às janelas de vidro que vão do chão ao teto e formam um pé-direito de quase 3 metros de altura. Outro ponto alto dessa suíte é o rooftop privativo que conta com piscina, cozinha ao ar livre, mesa de jantar, lounge e TV. Considerando os ambientes com varanda — living, sala de jantar com cozinha integrada e dois quartos com banheiro — e o lavabo, essa suíte pode chegar a 226 m².

  • A decoração contemporânea e minimalista também se destaca. Na sala de estar, móveis de linhas retas e cores neutras estão dispostos sobre um piso que mescla cerâmica e porcelanato. A linguagem clean chega aos banheiros, que são revestidos com mármore Cippolino. O toque final fica por conta de fotos — penduradas em algumas paredes — do famoso fotógrafo e diretor americano Danny Clinch. A suíte Penthouse também apresenta a versão Extreme: com um quarto extra, ela chega a 275 m². Todos os dormitórios das suítes tipo Penthouse possuem cama king size.

  • O conforto das áreas privativas estende-se até o lobby, assinado pela designer de interiores Anna Busta, do Studio B Design, com sede em Tappan (Nova York). Divãs de couro, cortinas de veludo e carpetes felpudos abraçam os hóspedes, que podem contemplar no ambiente trabalhos de Andy Warhol, Julian Schnabel, Jean-Michel Basquiat, entre outros artistas. Aliás, diversas obras de arte valiosas estão espalhadas pelo hotel. A partir do lobby, chega-se ao Living Room Bar. Nele, os hóspedes apreciam drinques, boa música e uma bela vista do deck da piscina e do jardim, chamado The Grove. Criado pela paisagista americana Paula Hayes em parceria com Anna Busta, a charmosa área verde tem um ar provençal. Seus caminhos sinuosos entre lírios escondem surpresas como luminárias do século 19 e outros objetos encontrados em mercados de antiguidades da França.

  • Mesmo com todas as belezas de SoBe, é difícil resistir à área de lazer do W. São duas piscinas, sendo que a de borda infinita é uma das maiores de South Beach. Às sextas-feiras, sábados e domingos, o banho de sol é acompanhado de música ao vivo.

  • Para tornar a experiência ainda mais agradável, algumas luxuosas “cabanas” com serviço de mordomo estão disponíveis para aluguel. O hotel também tem academia e quadras de basquete e de tênis. Vale agendar um horário no spa da rede nova-iorquina Bliss. Fundada em 1996, a marca possui 16 unidades espalhadas pelo mundo. O espaço de 650 m² possui sete salas de tratamento.

  • A localização é superprivilegiada, você até esquece de andar de carro. Está tudo tão perto que é possível sair a pé ou de Uber/táxi. Mas não é preciso deixar o W para comer bem. O The Dutch, comandado pelo chef Andrew Carmellini, é especializado em peixes, mariscos e carnes. A atmosfera refrescante projetada pelo escritório Meyer Davis Studio, de Nova York, ganha força com pé-direito alto, piso de madeira e paredes de tijolos brancos.

  • No café da manhã, fui presenteado com um dos waffles mais deliciosos que já comi. Já falei do Mr. Chow lá em cima, mas não custa repetir: the best! Comida, decoração e público sem iguais. Depois é só se jogar na Wall para queimar as calorias.

  • Para quem quiser trabalhar, o W oferece uma infraestrutura completa. Destaque para o espaço de reuniões e eventos de 920 m2. Tenho que confessar: demorei muito para ir conhecer, mas a partir de agora o meu Zip Code (CEP) em South Beach será 33139. Para ser mais preciso: 2201 Collins Avenue – Miami Beach, FL, 33139.

  • Desejos realizados

    No W, os hóspedes contam com uma equipe de cinco “insiders” acostumados a realizar os desejos mais desafiadores, como conseguir aquela reserva quase impossível em um disputado restaurante da moda. O hotel também tem um time de “corredores”, o Whatever/Whenever, que fica à disposição para atender os pedidos dos clientes feitos por telefone.

  • Pelada fashion

    Que tal dar uma volta por South Beach a bordo de uma bicicleta bem estilosa? O serviço de aluguel do W disponibiliza magrelas fashionistas e cheias de tecnologia assinadas pelo publicitário brasileiro Lorenzo Martone, ex-namorado do estilista americano Marc Jacobs. Com design elegante, elas são as queridinhas das celebridades de Hollywood.

Na minha última passagem pela cidade, hospedei-me em um dos mais conhecidos endereços do público brasileiro, o W South Beach. Confesso que tive uma grata surpresa. Surpresa, principalmente, porque ele não é um empreendimento novo. Inaugurado em 2009, o hotel já faz parte da paisagem da cidade. Já tinha estado lá algumas dezenas de vezes, seja para ir ao delicioso Mr. Chow — restaurante chinês que é unanimidade entre os que, assim como eu, apreciam a culinária chinesa com os toques ocidentais do genial Michael Chow — ou para participar de algum dos muitos eventos que acontecem na belíssima área da piscina. Também já tinha passado pelo W para tomar um drinque no lounge bar do “Living Room”, nome pelo qual o lobby é conhecido, e para dançar até os primeiros raios de sol na boate Wall.

Compartilhe esta publicação: