Os 6 melhores gins para ter no bar

Da esquerda para a direita: Fords Gin Officers Reserve, GINRAW, Hendrick’s Midsummer Solstice, ROKU, Method and Madness e Dorothy Parker Rose Petal Gin

Resumo:

 

  • Destilado feito a partir de botânicos, o gim continua em alta no mundo todo;
  • A bebida se destaca pela versatilidade, o que permite a confecção de uma série de coquetéis, clássicos e modernos;
  • O forte do gin japonês Roku Gin, por exemplo, são os chás verdes sencha e gyokuro, que garantem equilíbrio;
  • Já o Midsummer Solstice, da Hendrick’s, é comparado ao verão engarrafado, com uma bebida refrescante e sobretudo, leve.

Houve um tempo na minha vida em que eu não tinha respeito algum pelo gim, zero. Eu bebia uísque e pronto. Nessa época, convivia muito com a grande e agitada família asiática de um ex. Muitas vezes, era divertido: havia bastante tagarelice, culinária e alimentação por horas a fio.

VEJA MAIS: Os 44 melhores bares de hotel do mundo

No entanto, nem sempre foi alegria, amor e camaradagem. Às vezes, era absolutamente exasperante. Afinal, é uma família. Na minha experiência, nenhuma família é perfeita,  muitas apenas fingem ser, e eu já testemunhei algumas brigas insignificantes. Houve silêncios sombrios, esperava-se discussões acaloradas entre os progressistas e os enraizados em “tradições” arbitrárias e arcaicas. E nem preciso falar na arte viciosa (mas fina) da traição feminina, do tipo que apenas mulheres asiáticas de certa idade dominam com desenvoltura.

No meio de toda a confusão, estava a matriarca -ou Lola, como a chamávamos, um termo filipino carinhoso e reverente para avó. Ela estava sempre insuportavelmente calma e muito raramente falava. Ficava sentada lá, com o cabelo perfeitamente penteado e os lábios vermelhos e brilhantes, observando tudo se desenrolar, enquanto bebia copo após copo de cristal com água cheia de gelo. Uma tarde, notei o recipiente dela se esvaziando e me ofereci para reabastecê-lo.

Sua resposta foi chocante:

“Não, não, filha”, disse ela, com uma piscadela. “Isso não é água. É gim tônica. Esse é o segredo. Sirva-se de um. ”

Quaisquer opiniões que eu tivesse sobre o gim desapareceram completamente naquele dia. Se um gim tônica era bom o suficiente para ela, certamente era bom o suficiente para mim. E se era isso que a mantinha sã, entre a ninhada de filhos, filhas e netos. Quem era eu para discordar?

Hoje, os gim tônicas estão sempre em alta e toda vez que preparo um, penso nessa lição muito breve, mas útil, que me serviu bem quando finalmente escapei de lá.

Aqui estão seis gins de destaque no mercado mundial atualmente:

  • Roku Gin

    O Roku, desenvolvido pela Suntory há pouco tempo, não é um gin típico. Pelo menos, não da maneira que você conhece o destilado. Roku é completamente japonês, e isso é evidente. São seis plantas específicas do Japão: flor e folhas de sakura, pimenta sansho, chá sencha e chá gyokuro. Vale a pena ressaltar que os dois últimos ingredientes são chás verdes, que conferem um sabor infinitamente mais sutil, para que o efeito geral seja equilibrado com uma doçura (e secura) quase imperceptível. Há, todavia, uma ressalva: quando um colega meu entusiasta de gim tônica, tentou da maneira tradicional (com uma guarnição de limão), não parecia bom. Mas troque o cítrico por pepino, e você se surpreenderá.

  • Method and Madness Microdistilled Irish Gin

    Eu estava no condado de Cork, na Irlanda, visitando a Destilaria Jameson, da Pernod-Ricard, quando experimentei pela primeira vez cada bebida do portfólio Method and Madness (ou pelo menos o que estava disponível na sala de degustação na época). Para quem não conhece, a Method and Madness é semelhante a uma extensão minúscula da linha dentro da família Jameson. Todas as bebidas são produzidas em uma microdestilaria, primeiro como experimentos para ver que tipos de inovações empolgantes podem surgir. São feitos ainda uísques com acabamentos incomuns, como castanha francesa e acácia. De fato, eles fizeram um bom trabalho. O gin, é claro, é extraordinário, tanto que eu tive de “caçar” a garrafa em Dublin (não estava à venda na loja de souvenirs). Há 16 botânicos envolvidos, incluindo flor de tojo irlandês e limão preto, que conferem um sabor cítrico muito refrescante e um pouco picante.

  • Hendrick’s Midsummer Solstice

    Se fosse possível engarrafar o verão em uma bebida refrescante e leve, qualquer pessoa sã com um paladar diria que essa bebida é o Henrick’s Midsummer Solstice, lançamento limitado lançado no início do verão da América do Norte, mas que felizmente ainda está amplamente disponível em muitos varejos, tanto online quanto em lojas físicas. Embora a marca não divulgue os botânicos específicos usados, é bastante evidente que as notas cítricas e florais dominam o perfil de sabor do gim. O destilado foi feito especificamente para atender aos obsessivos por martini por meio da adição extra de hidrocloreto de quinina, flor de lótus azul e absinto. O Midsummer Solstice é suave, fresco e, acima de tudo, longe de muito forte alcoolicamente.

  • Dorothy Parker Rose Petal Gin

    Se você é um purista, esqueça esta edição limitada da Allen Kat’s New York Distilling Co.. Apenas 10 mil garrafas foram produzidas, o que eu acho que é um pequeno erro da parte da empresa, pois esta bebida é saborosa demais para ser excluída da coleção principal. É a introdução perfeita ao destilado de zimbro, para pessoas que desejam algo razoavelmente potente, saboroso e nada “medicinal”, como muitos gins inferiores. Deixe-me explicar: ao fazer gim, os botânicos são de extrema importância, mas é ainda mais crítico obter o equilíbrio e as nuances corretas, pois não se quer uma bebida que tenha gosto de produto farmacêutico. E é isso que esse rótulo faz muito bem. Distingue-se por uma doçura quase imperceptível (e não enjoativa) e oferece um líquido delicioso e adequado para consumidores que não querem uma bomba de zimbro. Alguns gins são exatamente aquele tipo que você gostaria de provar em um gim tônica, um Corpse Reviver No. 2 ou um Tom Collins. A força desse gim de pétalas de rosa está exatamente em sua versatilidade. Os botânicos envolvidos, como vagens de cardamomo verde, sabugueiro, pétalas de hibisco, coentro, raspas de canela e cascas de limão e laranja, mantêm o sabor interessante, especialmente para quem gosta de experimentar. E essa cor vermelha? É completamente natural, conseguida por meio da adição de sabugueiro esmagado, além de pétalas de rosa.

  • GinRaw

    Barcelona é uma cidade amante de gim e não da mesma maneira que Londres: marcas como Tanqueray ou Seagram não são exatamente os destaques aqui, se é que você pode encontrá-las. Os cofundadores Roger Burgués e Lluís Jáuregui queriam desenvolver um destilado de primeira classe que atendesse aos gostos discriminatórios dos moradores de Barcelona, conhecidos por seus paladares ultra-refinados. O objetivo era criar uma bebida “gastronômica”, e levou muito tempo, pesquisa e desenvolvimento para fazer isso. Tinha de ser bebível por si só, destacar-se em uma infinidade de coquetéis e de gim tônicas, e poder ser usada em uma variedade de drinques como o toque “mágico” e inovador. Deixe-me ilustrar: para desenvolver o GinRaw, um perfumista mestre, um chef, um sommelier e um mixologista estiveram envolvidos, bem como uma máquina de destilação de baixa temperatura chamada Rotaval (desenvolvida na Espanha, é claro).

  • Fords Gin: Officer’s Reserve

    O Officer’s Reserve ganhou o prêmio de melhor novo destilado ou ingrediente de coquetel no evento Tales of the Cocktail deste ano. Pessoalmente, é bom, mas não o suficiente para ficar sem adições ou ingredientes suplementares. Este é o gim para quem gosta de fazer coquetéis sem restrições. Ao abrir a garrafa, não há um aroma evidente (e, caro leitor, eu coloquei o nariz dentro do recipiente muitas vezes ao longo do tempo, apenas para garantir que eu estava cheirando corretamente). Isso é bastante incomum, porque a lista de ingredientes é bastante extensa, como anunciado na caixa: bagas de zimbro, toranja, jasmim, angélica, laranja amarga, limão, cássia, orris e coentro. Além disso, é mantido em barris de xerez espanhol não especificado. Orloroso ou PX? Quem sabe? Eu não estou dizendo que é ruim, mas acho que pode ser muito melhor. Entretanto, um aspecto pelo qual ele é fantástico é a possibilidade de ser usado em diversos coquetéis. Pode ser adicionado em várias misturas que normalmente demandam vodca, porque o sabor do zimbro não é tão acentuado.

Roku Gin

O Roku, desenvolvido pela Suntory há pouco tempo, não é um gin típico. Pelo menos, não da maneira que você conhece o destilado. Roku é completamente japonês, e isso é evidente. São seis plantas específicas do Japão: flor e folhas de sakura, pimenta sansho, chá sencha e chá gyokuro. Vale a pena ressaltar que os dois últimos ingredientes são chás verdes, que conferem um sabor infinitamente mais sutil, para que o efeito geral seja equilibrado com uma doçura (e secura) quase imperceptível. Há, todavia, uma ressalva: quando um colega meu entusiasta de gim tônica, tentou da maneira tradicional (com uma guarnição de limão), não parecia bom. Mas troque o cítrico por pepino, e você se surpreenderá.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).