Dólar tem leve alta ante real

iStock
O dólar à vista teve alta de 0,17%, a R$ 4,1618 na venda

O dólar encerrou em leve alta contra o real hoje (26), em dia marcado por acentuada volatilidade no mercado doméstico de câmbio, com agentes monitorando processo de impeachment do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e as relações comerciais EUA-China.

LEIA MAIS: Dólar recua ante real com foco em negociações EUA-China

O dólar à vista teve alta de 0,17%, a R$ 4,1618 na venda. Na B3, o dólar futuro tinha valorização de 0,27%, a R$ 4,1615. Na mínima, a cotação foi a R$ 4,1224 na venda, menor patamar intradia desde 18 de setembro, enquanto na máxima tocou R$ 4,1690.

“O mercado ainda continua bem perdido. O cenário externo é volátil, com incertezas de todos os lados, especialmente envolvendo o Trump, e isso deixa todo mundo na retaguarda”, afirmou Paulo Celso Nepomuceno, estrategista de renda-fixa da Corretora Coinvalores.

As moedas emergentes pares do real, como peso mexicano e rand sul-africano também se depreciavam contra o dólar, enquanto a moeda norte-americana subia contra uma cesta de outras moedas.

O Comitê de Inteligência da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos publicou, nesta quinta-feira, uma versão não sigilosa de uma denúncia de um delator alegando que o presidente usou seu gabinete para solicitar interferência estrangeira nas eleições presidenciais de 2020.

Nepomuceno acrescentou que grande parte dos temores em torno da questão do impeachment de Trump é que o presidente norte-americano use as negociações comerciais com a China como ponto para tirar atenção da instabilidade política doméstica.

“Existe a possibilidade dele querer desviar a atenção do processo (de impeachment) enrijecendo as relações com a China. Só essa possibilidade já levanta temores de todos os lados.”

VEJA TAMBÉM: Dólar encerra em queda ante real de olho em Trump

O Ministério do Comércio chinês disse nesta quinta-feira que os dois países ainda estão discutindo detalhes sobre a próxima rodada de negociações comerciais em outubro e estão fazendo preparativos para garantirem “progresso positivo”.

A declaração vem um dia após Trump afirmar que um acordo entre os dois países pode acontecer antes do que as pessoas pensam.

Em contrapartida, a agência “Bloomberg” noticiou que os EUA não devem prorrogar a autorização temporária que permite que a chinesa Huawei compre produtos de empresas norte-americanas.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).