Ibovespa reverte alta da semana após Lula deixar a prisão

ReutersConnect/Amanda Perobelli
A decisão de libertar Lula trouxe insegurança jurídica para o mercado de investimentos

O Ibovespa fechou em forte queda hoje (8), com investidores preferindo realizar lucros após decisão da Justiça de libertar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

LEIA MAIS: Ibovespa fecha acima de 109 mil pontos pela 1º vez

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 1,78%, a 107.628,98 pontos, ampliando as perdas no final da sessão. O giro financeiro somou R$ 20,2 bilhões.

Com a queda, o Ibovespa reverteu o ganho acumulado da semana e terminou em baixa de 0,52%.

A Justiça Federal do Paraná colocou Lula em liberdade após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) da véspera de impedir prisão para um condenado em segunda instância.

O analista Régis Chinchila, da Terra Investimentos, destacou que a decisão do STF trouxe insegurança jurídica e potencial instabilidade política futura, que, segundo ele, são dois assuntos que preocupam os investidores.

Após ser solto da sede da Polícia Federal em Curitiba, onde cumpria pena desde abril do ano passado, Lula afirmou que vai percorrer o Brasil. Ele disse ainda que fará um ato no sábado no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), e que o candidato presidencial do PT na eleição do ano passado, Fernando Haddad, teve o pleito “roubado”.

LEIA TAMBÉM: Ibovespa tem leve queda puxado por Petrobras e JBS

No exterior, o norte-americano S&P 500 terminou o dia com variação positiva de 0,25%, enquanto investidores continuaram à espera de definições nas negociações comerciais entre Estados Unidos e China.

Para a equipe do BTG Pactual, a volatilidade ainda não acabou e os mercados podem passar por uma realização de lucros no curto prazo.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).