Museu do Louvre fecha as portas em meio a preocupações por coronavírus

Benoit Tessier/Reuters

Fila de pessoas do lado de fora do Museu do Louvre, em Paris

O Museu do Louvre, em Paris, manteve as portas fechadas para turistas e amantes da arte pelo segundo dia consecutivo hoje (2), enquanto a administração realiza reuniões com os funcionários sobre riscos associados ao coronavírus.

Filas rapidamente se formaram sob chuva do lado de fora do museu mais visitado do mundo, e não havia indícios imediatos sobre a reabertura do local.

LEIA MAIS: 7 fatos sobre o coronavírus que você não sabia

Um sinal em diferentes idiomas na entrada principal do museu indicava: “Hoje, a abertura do Louvre está adiada. Vamos informar sobre o potencial horário de abertura o mais rápido possível. Obrigado pela compreensão”.

Casa da célebre pintura “Mona Lisa”, de Leonardo da Vinci, o museu fechou as portas ontem (1) após a gerência falhar em garantir aos funcionários que o risco de contágio pelo coronavírus estava contido, desencadeando uma paralisação.

Museus, locais turísticos e parques temáticos não são cobertos pela proibição de grandes reuniões públicas anunciada pelo governo francês no sábado (29).

A França tenta conter um surto que matou duas pessoas e infectou cerca de 130 no país.

A Disneyland Paris, em Chessy, 32 quilômetros a leste do centro de Paris, está aberta normalmente hoje, disse um representante. A Torre Eiffel também está operando de modo regular.

Thierry Breton, comissário do mercado interno da União Europeia, disse hoje que o surto de coronavírus está custando à indústria do turismo europeu cerca de € 1 bilhão por mês em perda de receita.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).