Rio de Janeiro decreta calamidade pública por coronavírus

Ricardo Moraes/Reuters
O decreto de calamidade pública foi publicado em caráter extraordinário pelo governo do Estado

O Rio de Janeiro decretou calamidade pública diante do avanço do coronavírus, que já deixou três mortos no Estado, informaram autoridades estaduais hoje (21).

O decreto de calamidade pública foi publicado em caráter extraordinário pelo governo do Estado. No começo da semana, o Rio de Janeiro já tinha entrado em situação de emergência por conta do avanço da doença.

LEIA MAIS: Tudo sobre o coronavírus

A situação da calamidade pode abrir espaço para mudanças no pagamento de fornecedores, prestadores e até de servidores, de acordo com o decreto.

“(A calamidade pública) impede o cumprimento das obrigações assumidas diante da necessidade de adoção de medidas de enfrentamento da emergência em saúde pública de importância internacional”, diz um trecho do decreto estadual.

Hoje, foi confirmada a terceira morte por coronavírus no Estado.

A vítima, um idoso de 65 anos, morreu em Petrópolis, cidade da região serrana. Ele esteve recentemente em viagem internacional e tinha problemas de saúde pré-existentes.

As outras duas vítimas do Covid-19 no Estado também eram idosos e tinham doença prévias.

Também hoje entraram em vigor novas medidas de isolamento da cidade do Rio de Janeiro, com restrição de transportes na capital. Mesmo assim, houve concentrações de pessoas nas barcas, trens e ônibus.

VEJA TAMBÉM: Governo declara estado de transmissão comunitária do coronavírus em todo território nacional

O prefeito da capital, Marcelo Crivella, disse que vai pedir ajuda às Forças Armadas no patrulhamento das ruas da cidade na orientação de pessoas para que retornem para suas casas se estiverem nas ruas sem necessidade.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).