Ibovespa fecha praticamente estável

Agentes financeiros estão cautelosos à espera da reforma da Previdência.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Reuters
Reuters

Agentes financeiros estão cautelosos à espera da reforma da Previdência

Acessibilidade


O Ibovespa fechou perto da estabilidade hoje (29), após uma sessão “de lado”, reflexo da precaução de agentes financeiros à espera de novidades efetivas na tramitação da reforma da Previdência, com o noticiário corporativo repercutindo nos negócios.

LEIA MAIS: Ibovespa recua pressionado por Petrobras e JBS

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa encerrou com variação positiva de 0,05%, mas nos ajustes inverteu o sinal da variação e recuou a 96.187,75 pontos. O volume financeiro somava R$ 10,4 bilhões.

“O mercado continua totalmente focado na reforma da Previdência”, afirmou o gestor Marco Tulli, da mesa de Bovespa da Coinvalores, citando principalmente os movimentos de articulação do governo e as negociações sobre ajustes no texto. “Mas está farto de simulações e nada de concreto (na articulação)”, acrescentou, explicando o movimento de lado do Ibovespa nesta sessão.

Nos últimos dias, o presidente Jair Bolsonaro tem feito acenos ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e repetiu o gesto no sábado (27), mesmo após entrevista polêmica do deputado. No domingo (28), Bolsonaro e Maia se reuniram para discutir a reforma da Previdência.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A XP Investimentos vê melhora no ambiente e avalia que, se continuar nessa tendência, poderia levar a um processo de aprovação mais rápido da reforma. Mas a corretora ressaltou que a negociação adiante é complexa e que ainda espera volatilidade.

Após instalação da comissão especial da Câmara dos Deputados que analisará o mérito da reforma da Previdência, na última quinta-feira (25), a expectativa é que os trabalhos no colegiado tenham início de fato apenas a partir da próxima semana.

No exterior, os índices norte-americanos S&P 500 e o Nasdaq subiram e renovaram recordes, com números sobre o gasto do consumidor e inflação respaldando postura acomodatícia do Federal Reserve sobre as taxas de juros do país.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Compartilhe esta publicação: