Ibovespa supera 105 mil pontos, com apoio de bancos

Sessão também foi marcada por noticiário externo misto.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Reuters
Reuters

O Ibovespa subiu 0,8%, a 105.319,40 pontos

Acessibilidade


O Ibovespa fechou em alta hoje (26), acima dos 105 mil pontos, com bancos entre os principais suportes, em sessão marcada por sinais benignos do Banco Central sobre inflação e câmbio no Brasil e noticiário externo misto em relação às negociações comerciais entre Estados Unidos e China.

LEIA MAIS: Ibovespa avança com Trump sinalizando solução em guerra comercial

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 0,8%, a 105.319,40 pontos. O volume financeiro da sessão atingiu R$ 13,7 bilhões.

Para o analista Régis Chinchila, da Terra Investimentos, a alta encontrou apoio em comentários do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que sinalizou tranquilidade da autoridade monetária em relação à inflação e à alta do dólar.

Campos Neto avaliou que a alta recente do dólar frente ao real não veio acompanhada de elevação do prêmio de risco e pontuou que o importante para o BC é quando há impacto do câmbio nos canais de inflação.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Também ajudou a bolsa, na visão do analista, a indicação de alinhamento entre o ministro da Economia, Paulo Guedes, e os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, “favorecendo o otimismo com o sucesso na implementação da agenda de reformas”.

O Ibovespa firmou-se no azul após uma manhã sem tendência clara, diante do noticiário misto sobre as negociações entre Estados Unidos e China, que têm adicionado volatilidade.

O governo chinês disse que os dois países estão se preparando para garantirem “progresso positivo” nas negociações em outubro e o assessor econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, destacou que movimentos da China nos mercados de commodities têm sido “muito positivos”.

VEJA TAMBÉM: Ibovespa fecha em queda de 0,73%, a 103.875,66 pontos

Em paralelo, contudo, a agência “Bloomberg” noticiou que os EUA não devem prorrogar autorização temporária para que empresas norte-americanas atuem como fornecedoras à chinesa Huawei, que desde maio foi incluída em uma lista negra dos EUA.

Além dos sinais contraditórios nesse tema, o ânimo no pregão brasileiro também encontrou freio em incertezas ligadas aos desdobramentos do pedido de impeachment do presidente norte-americano, Donald Trump.

Em Wall Street, o S&P 500 cedeu 0,23% e o Dow Jones caiu 0,28%. O Nasdaq perdeu 0,57%.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: