Jack Dorsey triplica sua fortuna durante governo de Donald Trump

GettyImages/ Chesnot
Conhecido mundialmente por ser cofundador do Twitter, Jack Dorsey enriqueceu nos últimos anos com sua participação na empresa de pagamentos Square

Nos três anos desde que Donald Trump se tornou presidente dos Estados Unidos, o patrimônio líquido do cofundador do Twitter, Jack Dorsey, subiu quase 240%, mais do que quase qualquer bilionário no país. Ele agora possui uma fortuna de US$ 4,4 bilhões, mais do que o triplo dos US$ 1,3 bilhão que possuía no início da presidência de Trump.

As ações do Twitter subiram 105%, aumentando a participação de Dorsey na empresa de US$ 275 milhões para US$ 610 milhões. Uma parcela maior de sua riqueza vem de outro negócio, a empresa de pagamentos Square. O executivo-chefe do Twitter também atua como CEO da Square, da qual detinha uma participação maior (de US$ 1 bilhão) no momento da posse de Trump. Os papéis da Square subiram quase 370% desde então, em comparação com um aumento de 45% no mercado de ações em geral. A participação de Dorsey agora vale US$ 3,6 bilhões, o suficiente para compor 80% da fortuna do magnata da tecnologia.

LEIA MAIS: CEO do Twitter diz que apoia o bitcoin, mas não confia na libra

Em 20 de janeiro de 2017, na manhã de sua posse, Trump twittou: “Tudo começa hoje!” Nos três anos seguintes, ele atuou como uma máquina de manchete para a rede de mídia social, criando notícias ao censurar seus críticos, elogiando seus seguidores fiéis e demitindo membros de seu gabinete, tudo no Twitter. A atenção foi acompanhada de controvérsia. Durante o mandato de Trump, os usuários pediram que o Twitter suspendesse sua conta. Em outubro, o ex-candidato presidencial democrata e senador da Califórnia Kamala Harris escreveu uma carta a Dorsey pedindo que ele suspendesse a conta de Trump. A empresa nunca concordou.

Dorsey também discutiu sobre como a plataforma lida com questões como desinformação e assédio. Mas em Wall Street, os investidores estavam preocupados com o fato de o Twitter, que tem sofrido com o crescimento de usuários, ter atingido seu primeiro lucro anual em 2018. As ações da empresa obtiveram ganhos nos últimos três anos, mas eles ocorreram depois de um forte declínio nos dois anos anteriores. Hoje, o Twitter é negociado ligeiramente abaixo do preço praticado há cinco anos.

Stock pickers têm se entusiasmado mais com a Square. Fundada em 2009, a empresa começou com o foco na venda de sua plataforma de processamento de pagamentos para pequenas empresas. Mais recentemente, começou a trabalhar com companhias maiores, o que significa mais dinheiro para a Square. As receitas da empresa aumentaram 50%, para US$ 3,3 bilhões em 2018, aumentando as ações e, portanto, a fortuna de Dorsey. Quando a lista anual da Forbes 400 saiu em outubro de 2018, o patrimônio líquido de Dorsey havia aumentado 186% em relação ao ano anterior, mais do que qualquer outra pessoa no ranking.

LEIA TAMBÉM: Para CEO do Twitter, África é o “futuro do bitcoin”

As ações caíram desde o auge de 2018, mas mesmo analistas céticos continuam otimistas sobre as perspectivas de longo prazo da empresa. “Você ainda está olhando para uma empresa que está crescendo a um ritmo incrivelmente rápido”, diz Brett Horn, da Morningstar. “Acho que eles provaram que o modelo de negócios é viável e ainda têm muito crescimento pela frente”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).