Starbucks diz que deve ser afetada por coronavírus

Rede de cafeterias fechou mais da metade de suas lojas no país.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
ReutersThomas-Peter
ReutersThomas-Peter

Até o final do ano passado, a Starbucks operava 4.292 lojas no país asiático

Acessibilidade


A Starbucks se tornou hoje (28) a primeira grande empresa dos Estados Unidos a indicar que deve ser afetada pelo surto de coronavírus na China, uma vez que fechou mais de metade de suas lojas no país e ajustou horários de funcionamento.

A maior rede de cafeterias do mundo afirmou que revisará suas previsões para 2020 assim que for possível estimar o impacto do surto, que já causou mais de 100 mortes na China.

VEJA MAIS: Dólar recua ante real após disparar na véspera de olho em coronavírus e política monetária

Até o final do ano passado, a Starbucks operava 4.292 lojas no país asiático.

As vendas em restaurantes abertos há pelo menos 13 meses cresceram 5% no trimestre encerrado em 29 de dezembro.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Analistas esperavam que as vendas nessas mesmas lojas registrassem crescimento de 4,4%, segundo dados da Refinitiv.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: