Coronavírus pode atingir produção do iPhone

Se a China ampliar a interrupção de fábrica da Foxconn por mais uma semana, abastecimento deve ser comprometido.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
REUTERS/Tyrone-Siu
REUTERS/Tyrone-Siu

A companhia, que fabrica smartphones para a Apple e outras marcas, interrompeu quase toda sua produção no país

Acessibilidade


A Foxconn pode ter um grande impacto na produção e envios para clientes, incluindo da Apple, sofrerão interrupções se uma fábrica chinesa parar de funcionar devido ao coronavírus por mais uma segunda semana, disse uma fonte com conhecimento do assunto.

A companhia, que fabrica smartphones para a Apple e outras marcas, interrompeu quase toda sua produção no país depois que as empresas foram instruídas a suspender as operações até pelo menos 10 de fevereiro, disse a fonte, acrescentando que uma extensão da suspensão pode interromper o fornecimento.

A Foxconn, de Taipei, maior fabricante por contrato de eletrônicos do mundo, não respondeu imediatamente a um pedido de comentário, enquanto a Apple se recusou a comentar.

A fonte disse à Reuters que a Foxconn tem visto até agora um “impacto relativamente pequeno” do surto, já que usa fábricas em países como Vietnã, Índia e México para preencher a lacuna, acrescentando que a empresa poderá compensar o atraso se as fábricas trabalharem horas extras após a suspensão.

VEJA MAIS: Temores sobre coronavírus retiram US$ 393 bi de mercados chineses

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Segundo a fonte, uma interrupção posterior a 10 de fevereiro pode atrapalhar os envios da Foxconn. Ela revelou preocupações sobre os centros de produção na província de Guangdong, no sul, e a cidade de Zhengzhou, na província de Henan, onde estão localizadas as principais fábricas do iPhone.

“O que nos preocupa são os atrasos por mais uma semana ou até mais um mês. O impacto seria grande”, disse. “Definitivamente terá impacto na linha de produção da Apple.”

O analista da Morningstar Don Yew vê um impacto limitado na cadeia de fornecimento da Foxconn, dizendo que suas quatro subsidiárias em Hubei representaram apenas 1,8% da receita total da empresa em 2018 e fornecedores como a Apple mantêm uma cadeia diversificada.

Mas a disseminação do coronavírus para grandes centros de produção de smartphones como Guangdong pode levá-los a revisar estimativas financeiras para empresas como a Foxconn, disse Yew.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: