Em ano de IPO, Airbnb registra prejuízo com aumento de gastos

Reprodução/Forbes
A perda líquida no Airbnb nos primeiros nove meses de 2019 foi de US$ 322 milhões

O Airbnb registrou uma perda líquida de US$ 322 milhões nos primeiros nove meses de 2019, informou o “Wall Street Journal”, uma queda dramática em relação a um lucro de US$ 200 milhões no ano anterior, o que pode ser um sinal preocupante para a startup de compartilhamento de casas que tem pela frente um IPO altamente esperado.

Citando pessoas próximas à empresa, o “WSJ” informou que os custos crescentes foram responsáveis ​​pela perda líquida.

VEJA MAIS: Em ano de IPO, Airbnb registra prejuízo com aumento de gastos

A empresa está gastando mais de US$ 100 milhões por ano para atualizar seus custos de tecnologia e administrativos, como recursos jurídicos, contábeis e humanos, de acordo com o “WSJ”.

O “The Information” também informou no ano passado que o Airbnb aumentou os gastos com marketing durante o primeiro trimestre de 2019, mais do que dobrando sua perda operacional para US$ 306 milhões.

A perda do Airbnb está levantando preocupações dentro da empresa, enquanto se prepara para um IPO de grande sucesso este ano; o conselho de administração da empresa questionou executivos nas últimas semanas sobre o aumento de custos, informou o “WSJ”. Mas o Airbnb não está em apuros; a empresa registrou faturamento de US$ 3 bilhões.

O Airbnb é uma das startups mais valiosas dos EUA. Sua última rodada de financiamento, em setembro de 2017, arrecadou US$ 1 bilhão, de acordo com o Pitchbook, avaliando a empresa em US$ 31 bilhões.

Um porta-voz da companhia não quis se pronunciar a respeito.

O IPO do Airbnb, programado para este ano, é um dos mais aguardados de 2020. Embora não tenha divulgado demonstrações financeiras detalhadas, a empresa privada afirmou que era rentável com base no Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) de 2017 e 2018. O resultado coloca o Airbnb (esperam os investidores) em uma posição melhor do que outras startups, como Uber, Lyft e Casper, que ainda não são rentáveis em Ebitda.

O Airbnb esteve sob escrutínio popular recentemente por questões de segurança, principalmente depois que um tiroteio em uma casa na Califórnia listada no site deixou cinco pessoas mortas. A empresa prometeu investir US$ 150 milhões, de acordo com o “WSJ”, para revisar suas medidas de segurança e verificar todas as sete milhões de listagens na plataforma, o que provavelmente aumentará ainda mais os custos. Os legisladores também questionaram o Airbnb sobre propriedades que violam as leis locais de zoneamento.

Os três cofundadores do Airbnb, incluindo o CEO, Brian Chesky, são bilionários, segundo estimativas da Forbes. Chesky, Joe Gebbia e Nathan Blecharczyk valem US$ 4,2 bilhões.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).