Facebook proíbe anúncios enganosos sobre coronavírus

Propagandas com promessas de cura ou que criem senso de urgência não serão permitidas

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
ReutersConnect/Dado Ruvic
ReutersConnect/Dado Ruvic

O Facebook continua vigiando e apagando postagens e propagandas enganosas relacionadas ao surto de coronavírus ao redor do mundo

Acessibilidade


O Facebook anunciou hoje (26) que proibirá anúncios de produtos que ofereçam curas ou algum tipo de prevenção para o surto do coronavírus e anúncios que criem um senso de urgência em relação à doença.

O vírus, que se acredita ter se originado na cidade chinesa de Wuhan, no final do ano passado, matou mais de 2.700 pessoas até agora.

LEIA MAIS: Primeiras estimativas indicam perdas de mais de US$ 3 trilhões com surto do coronavírus

Anúncios com alegações como “máscaras com 100% de garantia de impedir a propagação do vírus” não serão permitidos, disse um porta-voz da empresa.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA avisou a norte-americanos ontem (25) para começarem a se preparar para a disseminação do coronavírus, depois que casos surgiram em vários outros países.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

LEIA TAMBÉM: Danone corta previsões para 2020 por causa de coronavírus

No mês passado, o Facebook disse que removeria conteúdo relacionado ao vírus com “alegações falsas ou teorias da conspiração que foram denunciadas pelas principais organizações globais de saúde e autoridades locais de saúde”, juntando-se a empresas como TikTok e Pinterest.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: