Samsung sinaliza queda no lucro do 2° trimestre

Empresa afirma que haverá perda por causa da baixa procura por smartphones e TVs com o coronavírus.

Redação
Compartilhe esta publicação:
ReutersConnect/Kim Hong-Ji
ReutersConnect/Kim Hong-Ji

Logotipo da Samsung em no escritório da empresa em Seul

Acessibilidade


A Samsung disse hoje (29) que espera um declínio no lucro no trimestre atual, devido a uma queda nas vendas de smartphones e TVs por causa do coronavírus, embora a unidade de chips permanecerá sólida.

A empresa afirmou que, embora encomendas ligadas a trabalho remoto e o crescimento da educação à distância sustentem a demanda por chips de memória, as projeções para smartphones e TVs são sombrias, com clientes adiando gastos não essenciais.

LEIA MAIS: Boeing corta 10% da força de trabalho em meio à pandemia

“Mesmo que essas incertezas persistam, as condições gerais do setor de memória provavelmente serão favoráveis devido à demanda de servidores e computadores”, disse Han Jin-man, vice-presidente sênior de chips da Samsung, em teleconferência.

Por outro lado, a Samsung espera que seus lucros com celulares e TV “diminuam significativamente” no segundo trimestre, com os consumidores controlando os gastos com itens não essenciais, além de lojas e fábricas fechadas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A maior fabricante mundial de chips de memória e smartphones disse que o lucro operacional aumentou 3%, para 6,4 trilhões de won (5,2 bilhões de dólares) no primeiro trimestre, impulsionado pela sólida demanda por chips e menores gastos com marketing.

LEIA TAMBÉM: Ajuda a Estados e municípios será de R$ 120-130 bi, diz Guedes

Os negócios de chips da Samsung tiveram lucro operacional de 3,99 trilhões de won, queda de 3% em relação ao ano anterior. Já a divisão móvel registrou lucro operacional de 2,65 trilhões de won, 17% a mais que no ano anterior.

A divisão de displays viu o prejuízo de 290 bilhões de won do ano anterior ser reduzido pela metade, apesar da queda nas vendas de telefones na China, graças a uma recuperação nos preços das telas de TV devido a interrupções no fornecimento. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: