Liberty e Telefónica acertam fusão de US$ 38 bilhões no Reino Unido

REUTERS_Juan-Medina
REUTERS_Juan-Medina

Juntas, a Liberty e a Telefónica têm as duas maiores provedoras de TV a cabo britânicas, a Virgin Media e a O2

A Liberty Global e a Telefónica anunciaram nesta quinta-feira acordo de US$ 38 bilhões para uma fusão de seus negócios no Reino Unido, que criará uma potência do setor para enfrentar a líder de mercado BT.

No maior abalo do mercado britânico de telecomunicações em cinco anos, o acordo unirá a maior provedora de TV a cabo, Virgin Media, da Liberty, com a O2, da Telefónica, a segunda maior operadora de telefonia móvel do país.

LEIA MAIS: Telefônica Brasil tem lucro 14,1% menor no 1º trimestre

O negócio também irá pressionar as rivais Vodafone, Sky, da Comcast; Three UK e TalkTalk.

“Não é mais um segredo: quando o 5G encontra a banda larga de 1 giga, sabemos que a mágica pode acontecer para os clientes”, disse Mike Fries, presidente-executivo da Liberty Global, em teleconferência.

O presidente-executivo da Telefónica, José Maria Alvarez-Pallete, disse que os dois negócios seriam “muito mais fortes juntos”.

Sob os termos do acordo, um dos maiores desde que a pandemia de coronavírus abalou a economia mundial, as duas empresas terão propriedade igual da entidade combinada. Elas esperam atingir US$ 7,7 bilhões em sinergias anualmente até o quinto ano após a conclusão do negócio.

O acordo avalia a O2 em 12,7 bilhões de libras e a Virgin Media em 18,7 bilhões de libras, incluindo dívidas. A empresa combinada investirá 10 bilhões de libras no mercado do Reino Unido em cinco anos.

Fries disse que as negociações da fusão com a Telefónica começaram antes da pandemia de coronavírus varrer o mundo.

“Nós nos sentimos confiantes o suficiente em nossos respectivos negócios, dado o fato de estarmos fornecendo serviços vitais em todo o país, para continuar essas discussões e eles apenas chegaram a uma conclusão natural”, disse o executivo, acrescentando que a marca do grupo combinado não foi decidida. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).