Embraer corta 900 trabalhadores no Brasil por efeitos de Covid-19 e cancelamento de acordo com Boeing

Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

A Embraer vai cortar 4,5% do seu efetivo total de trabalhadores no Brasil

A Embraer anunciou hoje (3) que está cortando 4,5% do seu efetivo total, o que corresponde a cerca de 900 trabalhadores no Brasil, como medida para lidar com os efeitos causados pela Covid-19 na economia global e pelo cancelamento da parceria com a Boeing.

“O objetivo é assegurar a sustentabilidade da empresa e sua capacidade de engenharia”, afirmou a fabricante de aviões em comunicado, ressaltando que a pandemia afetou particularmente a sua divisão de aviação comercial, que no primeiro semestre de 2020 apresentou redução de 75% das entregas ano a ano.

LEIA MAIS: Embraer tem prejuízo bilionário no 2º trimestre

A companhia disse ainda que a situação se agravou com a duplicação de estruturas para atender a separação da aviação comercial, em preparação à parceria não concretizada por iniciativa da Boeing, e pela falta de expectativa de recuperação do setor de transporte aéreo no curto e médio prazo.

A Embraer acrescentou que, desde o começo da pandemia, adotou medidas para preservar empregos como férias coletivas, redução de jornada, lay-off, licença remunerada e três planos de demissão voluntária (PDV). Esses três PDVs, segundo a empresa, tiveram adesão de cerca de 1,6 mil funcionários no país. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).