Vendas do Alibaba no Dia dos Solteiros superam US$ 74 bi

iStock
iStock

O Dia dos Solteiros é o maior evento de vendas do mundo – superando a Black Friday e a Cyber Monday

O Alibaba disse que as vendas em suas plataformas de e-commerce durante o evento do Dia dos Solteiros superaram US$ 74 bilhões ontem (11), mas o valor foi ofuscado pela queda de quase 10% nas ações do grupo após a China publicar o projeto de novas regras antitruste destinadas a empresas de internet.

O maior evento de vendas do mundo – superando a Black Friday e a Cyber Monday nos Estados Unidos – durou 11 dias neste ano e até agora gerou aos vendedores uma quantia 21 vezes maior do que a do Prime Day da Amazon no mês passado.

LEIA MAIS: Alibaba tem vendas acima do esperado no trimestre

Seu tamanho é tão grande que seu desempenho é amplamente considerado um indicativo da recuperação econômica pós-vírus da China.

“Por causa da Covid-19, muitos chineses não podem ir para o exterior”, disse o vice-presidente Liu Bo a repórteres. “Isso realmente estimula o consumo online.”

O desempenho até agora é um alívio para o Alibaba Group Holding, depois de perder cerca de 10% do seu valor de mercado na semana passada, quando reguladores suspenderam a listagem de sua subsidiária Ant Group.

O evento, iniciado em 2009, registrou no ano passado o recorde de US$ 38,4 bilhões em vendas sob a métrica GMV.

O GMV do evento neste ano superava 498,2 bilhões de iuanes (US$ 74,1 bilhões).

O desempenho trouxe pouco alívio para os investidores do Alibaba, que tinham atenções voltadas para o projeto de novas regras anti-monopólio que poderiam aumentar o escrutínio nos mercados de comércio eletrônico e serviços de pagamento.

As ações listadas em Hong Kong do Alibaba caíram 9,8%, em linha com outras gigantes chinesas da tecnologia. (Com Rueters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).