Para ter sucesso, é preciso ter influência. Saiba como

Getty Images
A influência é um processo, não um evento — e ela não surge da qualidade das suas ideias

Resumo:

  • Você precisa ser influente para promover sua carreira, vender suas ideias e defender sua equipe – não importa a sua função;
  • A influência é um processo, não um evento: ela vem da sua capacidade de criar uma marca pessoal forte e de construir uma rede ao seu redor;
  • Para começar, pergunte a si mesmo pelo que gostaria de ser conhecido e faça um plano para construir seu relacionamento com pessoas importantes.

Muitas pessoas pensam que a influência é apenas para aqueles que trabalham com vendas e marketing. Mas, na verdade, se você é um CFO (diretor financeiro), advogado interno ou engenheiro, precisa ser influente para promover sua carreira, vender suas ideias e defender sua equipe.

LEIA MAIS: Como um líder pode se tornar um influenciador

A influência é um processo, não um evento — e ela não surge da qualidade das suas ideias. Ela vem da sua capacidade de criar uma marca pessoal forte e de construir uma rede ao seu redor.

Veja, na galeria de fotos abaixo, 2 dicas para ser mais influente:

  • 1. Crie uma forte marca pessoal

    Sabemos o que é marca pessoal. É como você é conhecido, sua reputação. É o que pensam quando lembram de você. Ter uma marca forte é essencial para influenciar. Quando os outros sabem que podem contar com você, quando se tem credibilidade, é maior a chance de ter apoio para suas ideias.

    Um dos meus clientes descobriu isso quando fui sua coach. Chris era o vice-presidente de finanças de uma grande empresa de tecnologia. A companhia não tinha um bom método para elaborar orçamentos, o que provocou confusão sobre quanto cada departamento poderia gastar e muito trabalho para racionalizar os gastos. Chris queria instituir processos eficientes e consistentes para melhorar o sistema e gerar economia. Ao buscar apoio, porém, viu um sinal amarelo: as principais pessoas não o seguiram.

    Quando me tornei coach de Chris, falei com colegas seus para ter a visão que faziam dele. Descobri que era visto como um cara inteligente, mas focado em pequenas coisas ao invés de estratégias maiores. “Inteligente, mas tático” foi a sua descrição. Ele ficou chocado ao ouvir isso, mas, depois de digerir, decidiu se planejar e trabalhar sua marca.

    Juntos, bolamos um plano para vender o modelo de Chris de modo “estratégico”. Antes de uma reunião, ele pensava no assunto que seria abordado e em como oferecer uma visão estratégica. Para ter mais clara essa visão, passou a conviver mais com o vice-presidente de estratégia e o de desenvolvimento corporativo, além da CFO da empresa.

    Oito meses depois, voltei a falar com as pessoas ao redor de Chris. Por unanimidade, todos o consideraram mais estratégico e positivo. Com essa marca mais forte, Chris vendeu sua ideia como queria. O processo foi implementado um ano depois e Chris, promovido.

    1.a. A melhor dica para construir sua marca

    Pergunte a si mesmo pelo que gostaria de ser conhecido. Pense se você quer progredir na carreira, ser conhecido por sua marca de “executivo” e de “líder”, e não apenas por sua especialidade técnica.

  • 2. Melhore sua rede

    O mais importante de ter uma marca eficaz é que as pessoas certas a conheçam — aquelas que podem ajudá-lo a fazer as coisas na sua empresa.

    Elas estão ao seu redor. É importante que você esteja conectado com os superiores: são eles que podem dar aval aos seus projetos. Fortes conexões com colegas — especialmente de áreas diferentes — são essenciais porque são eles que o ajudam a conceber e implementar conceitos multifuncionais em grande escala. Não ignore também os que se dirigem a você. São eles que dirão o que realmente está acontecendo e trabalharão para o seu sucesso, se vocês tiverem o relacionamento certo.

    Barbara, minha cliente, diretora de auditoria de uma empresa farmacêutica pública, viu que precisava construir sua rede ao deixar de ser convidada para reuniões importantes sobre possíveis aquisições. Ela ficou frustrada com isso, é claro. Mas, depois que conversamos, percebeu que as pessoas eram chamadas para essas reuniões com base em seu relacionamento com o chefe do conselho — alguém com quem ela tinha um relacionamento difícil — e com seu líder de desenvolvimento corporativo, que ela nem conhecia.

    Barbara deveria estar nesses grupos em função do seu trabalho, de seu mérito e competência, e não por seus relacionamentos. No entanto, é assim que as coisas se dão com frequência. Sim, a vida não é justa e isso vale em dobro para o mundo corporativo.

    Eu a treinei para que enxergasse a realidade e melhorasse o seu relacionamento com o chefe do conselho. Em um ano — essas coisas não acontecem da noite para o dia –, ela foi convidada para reuniões sobre aquisições. Como benefício secundário, conheceu outros nomes da empresa e pôde oferecer à sua equipe um trabalho mais interessante. Construir sua rede tem muitas recompensas.

    A melhor sugestão para melhorar a sua rede

    Identifique de 3 a 5 pessoas importantes que você precisa influenciar. Faça um plano para construir seu relacionamento com elas. O que você sabe sobre cada um que poderá ajudá-lo? Em seguida, repita o processo outras pessoas.

1. Crie uma forte marca pessoal

Sabemos o que é marca pessoal. É como você é conhecido, sua reputação. É o que pensam quando lembram de você. Ter uma marca forte é essencial para influenciar. Quando os outros sabem que podem contar com você, quando se tem credibilidade, é maior a chance de ter apoio para suas ideias.

Um dos meus clientes descobriu isso quando fui sua coach. Chris era o vice-presidente de finanças de uma grande empresa de tecnologia. A companhia não tinha um bom método para elaborar orçamentos, o que provocou confusão sobre quanto cada departamento poderia gastar e muito trabalho para racionalizar os gastos. Chris queria instituir processos eficientes e consistentes para melhorar o sistema e gerar economia. Ao buscar apoio, porém, viu um sinal amarelo: as principais pessoas não o seguiram.

Quando me tornei coach de Chris, falei com colegas seus para ter a visão que faziam dele. Descobri que era visto como um cara inteligente, mas focado em pequenas coisas ao invés de estratégias maiores. “Inteligente, mas tático” foi a sua descrição. Ele ficou chocado ao ouvir isso, mas, depois de digerir, decidiu se planejar e trabalhar sua marca.

Juntos, bolamos um plano para vender o modelo de Chris de modo “estratégico”. Antes de uma reunião, ele pensava no assunto que seria abordado e em como oferecer uma visão estratégica. Para ter mais clara essa visão, passou a conviver mais com o vice-presidente de estratégia e o de desenvolvimento corporativo, além da CFO da empresa.

Oito meses depois, voltei a falar com as pessoas ao redor de Chris. Por unanimidade, todos o consideraram mais estratégico e positivo. Com essa marca mais forte, Chris vendeu sua ideia como queria. O processo foi implementado um ano depois e Chris, promovido.

1.a. A melhor dica para construir sua marca

Pergunte a si mesmo pelo que gostaria de ser conhecido. Pense se você quer progredir na carreira, ser conhecido por sua marca de “executivo” e de “líder”, e não apenas por sua especialidade técnica.

 


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).