Facebook apresenta sua nova marca corporativa

Reprodução
A nova identidade visual do Facebook

O Facebook – a empresa, não a rede social – apresentou hoje (4) sua nova identidade visual. O objetivo da gigante cofundada por Mark Zuckerberg é tornar mais claro o posicionamento corporativo da empresa, que dispõe de uma série de aplicativos, incluindo Instagram, WhatsApp, Messenger, Oculus, Workplace, Portal e Calibra.

Em um post, o CMO (Chief Marketing Officer) da empresa, Antonio Lucio, anunciou a mudança: “Estamos atualizando a marca da nossa empresa para ter mais clareza sobre os produtos que vêm do Facebook. Temos um novo logotipo corporativo, de modo a diferenciar o Facebook companhia do Facebook aplicativo, que manterá sua marca. As pessoas devem saber quais empresas fabricam os produtos que usam.”

Segundo o executivo, que tem vasta experiência na construção de grandes marcas globais, como Pepsi, Visa e HP, esse reposicionamento reflete uma integração que já vinha sendo implementada nos bastidores. Os muitos aplicativos e tecnologias do Facebook “compartilham infraestrutura há anos e as equipes por trás deles frequentemente trabalham juntas”, disse Lucio. Desde junho, a empresa começou a adicionar “do Facebook” em todos os demais aplicativos.

A nova marca – desenvolvida pela agência britânica Saffron -, passou por uma bateria de testes com os consumidores e será usada em todos os produtos e materiais de marketing, incluindo um novo site. O logo muda de cor de acordo com o aplicativo no qual aparece. “Era muito importante para nós entregar a mensagem de que somos uma corporação mas, ao mesmo tempo, uma família de aplicativos. E cada um deles tem um papel importante na vida das pessoas. A melhor maneira de transmitir isso é não atribuindo uma cor oficial ao logotipo do Facebook como empresa. Ele assumirá a coloração particular de cada uma das marcas.”

Essa mudança, diz ao especialista em marketing, reflete a necessidade que a empresa tem de ter sua própria voz e narrativa. “Os problemas com os quais estamos lidando e sobre os quais falamos como companhia são diferentes dos problemas do aplicativo Facebook”, disse Lucio. “A maioria das conversas em curso ultrapassam o universo dos aplicativos. Quer estejamos falando sobre interferência nas eleições, privacidade, gerenciamento de dados ou sobre os planos de Mark Zuckerberg para a internet, isso precisa, daqui para frente, vir da empresa, e não da rede social.”

Parceria entre Petrobras e McLaren chega ao fim

Jam Media/Getty Images

A Petrobras anunciou hoje o fim da parceria técnica e de patrocínio que mantinha com a McLaren Racing, um contrato de £ 163 milhões que durou duas temporadas. “Reconhecemos a importância da McLaren no cenário do automobilismo global e ficamos muito satisfeitos com os resultados entregues durante os dois anos em que estivemos juntos”, disse Roberto Castello Branco, presidente da Petrobras, em comunicado. O executivo atribuiu à parceria o desenvolvimento de gasolinas e lubrificantes com tecnologia de ponta por meio de pesquisas com novas matérias-primas e testes realizados em condições extremas. “O desenvolvimento tecnológico será utilizado em produtos comerciais de lubrificantes e combustíveis. Enxergamos na McLaren um compromisso com a inovação bem como a possibilidade de futuras parcerias”, disse.

Empregos em alta na saúde

Pela primeira vez, o total de empregos formais no setor de saúde ultrapassou a marca de 5 milhões. De acordo com o Relatório de Emprego da Cadeia Produtiva da Saúde, feito pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), a quantidade de postos de trabalho no setor cresceu 3,4% entre agosto de 2019 e agosto de 2018. Hoje, são 3,6 milhões de trabalhadores com carteira assinada no setor privado e 1,5 milhão de estatutários na saúde pública, totalizando 5,1 milhões de empregos. No mesmo período, o total de postos de trabalho na economia avançou 1,1%. “O setor responde por 9% do PIB e por 11,6% da força de trabalho no Brasil. Ou seja, tem uma participação intensa na economia nacional. Tendência que deve se manter nos próximos anos, até mesmo pela demanda crescente que será gerada com o envelhecimento da população”, diz José Cechin, superintendente executivo do IESS. Veja, a seguir, os postos de trabalho no setor de saúde em cada uma das regiões do país por tipo de contratação:

Divulgação

Em busca de clientes

Divulgação

A Midway, braço financeiro do Grupo Guararapes, controlador da rede de varejo Riachuelo, escolheu as soluções da Serasa Experian para ampliar sua base de consumidores e as ofertas de crédito personalizadas. Com o objetivo de se tornar um banco, a financeira utilizou uma combinação de ferramentas para otimizar suas operações tanto para a aquisição de novos clientes, como para a gestão das ofertas para os mais de 31 milhões de portadores dos cartões Riachuelo. Com a implementação, 80% das aprovações passaram a ser feitas automaticamente – anteriormente, 100% das propostas eram revisadas manualmente.

Por mais carne à base de planta

Divulgação

O mercado de carnes alternativas está crescendo em todo o mundo como resultado da demanda dos vegetarianos e dos flexitarianos – pessoas que evitam carne no dia a dia, mas sem radicalismo. A gigante holandesa Vion, que detectou essa tendência em países como Alemanha, Reino Unido, Itália, França e em seu próprio país de origem, está convertendo parte de sua unidade de Leeuwarden, construída em 2017, para receber linhas de produção de carne à base de plantas. O objetivo é começar a produzir os produtos que serão lançados em 2020.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).