Ibovespa sobe com intenso noticiário positivo

Nacho Doce - REUTERS
Bolsa brasileira teve pregão agitado pela grande divulgação de balanços e noticiário corporativo

O Ibovespa sustentou alta ao longo do pregão de hoje (19) acompanhando o bom humor nos mercados internacionais com a espera pela decisão de política monetária da China como medida de estímulo à economia para enfrentar a crise gerada pelo surto de Covid-19, causado pelo coronavírus.

Além do clima mais favorável nos negócios globais, no Brasil, o noticiário corporativo foi intenso e movimentou muito as ações da bolsa brasileira.

LEIA TAMBÉM: Intenso noticiário corporativo movimenta Ibovespa

As ações da Petrobras tiveram ganhos ao longo de todo o dia com a expectativa de investidores pela divulgação do resultado de 2019 após o encerramento do pregão.

A estatal registrou lucro líquido no ano passado de R$ 40,1 bilhões, um aumento de 56% em relação a 2018, principalmente como resultado do ganho de capital sobre desinvestimentos. No quarto trimestre, o lucro líquido diminuiu 10% para R$ 8,2 bilhões. As ações PETR3 ON subiram 1,97% a R$ 32,57 e PETR4 PN avançaram 2,68% a R$ 30,55.

O Ibovespa fechou com alta de 1,34% aos 116.517 pontos.

No topo dos ganhos do Ibovespa, a WEG que anunciou lucro líquido de R$ 1,6 bilhão em 2019, alta de 20,6% na comparação com 2018. A valorização preliminar das ações WEGE3 era de 9,22% a R$ 48,82.

Outro destaque foi a JBS Frigoríficos com ações que reagem ao fato relevante publicado ontem à noite sobre a aquisição de participação acionária na Empire Packing norte-americana dentro dos planos de expansão internacional. A alta das ações JBSS3 era de 4,28% a R$ 26,80 perto do fechamento.

A volta por cima foi da resseguradora IRB Brasil com ações que corrigiram as fortes perdas das últimas semanas após o questionamento da veracidade dos resultados da companhia. Para evitar novas polêmicas, contratou duas auditorias independentes para aferir o balanço de 2019, a PWC e a Ernst & Young. No ano passado, a IRB teve lucro líquido de R$ 1,76 bilhão, uma alta de 44,7% na comparação com o ano anterior. As ações IRBR3 chegaram a uma máxima perto de 7% no intraday e terminavam os negócios com valorização de 1,51% a R$ 36,85.

O CADE, Conselho Administrativo de Defesa Econômica, anunciou o arquivamento do recurso do Ministério Público Federal contra a decisão que aprovava a fusão entre Embraer e Boeing. Agora, a operação foi aprovada em definitivo. Na NYSE, a ações da Boeing tiveram valorização ao longo do pregão. Aqui no Brasil, as ações da EMBR3 encerravam com ganhos de 1,43% a R$ 19,04.

As baixas do Ibovespa foram lideradas por Hering (HGTX3) com perdas de 2,88% a R$ 24,92, Cogna (COGN3) com recuo de 2,19% a R$ 11,15, Petrobras Distribuidora (BRDT3) com desvalorização de 1,16% a R$ 29,92, Carrefour (CRFB3) com baixa de 1,09% a R$ 21,80 e Ultrapar (UGPA3) que caiu 1% a R$ 23,86.

****

Luciene Miranda é jornalista especializada em Economia, Finanças e Negócios com coberturas independentes na B3, NYSE, Nasdaq e CBOT

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).