Ibovespa fecha acima dos 100 mil pontos e volta a patamar pré-pandemia

ReutersConnect/Paulo Whitaker
ReutersConnect/Paulo Whitaker

O Ibovespa já acumula valorização de cerca de 60% desde as mínimas do ano registradas em março

O Ibovespa fechou em alta hoje (10), acima dos 100 mil pontos pela primeira vez desde março, apoiado no viés positivo dos mercados no exterior, com CVC Brasil e Cogna avançando mais de dois dígitos – 14% e 11,05%, respectivamente – e liderando os ganhos da sessão.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 0,88%, a 100.031,83 pontos. O volume financeiro somou R$ 24,1 bilhões.

LEIA MAIS: 5 tendências de negócios que devem emergir com a Covid-19

Na semana, acumulou alta de 3,38%, mantendo em julho o viés positivo dos últimos três meses, apoiado no cenário de juros bastante baixos no país e sinais de que o pior para a atividade econômica brasileira pode ter ficado para trás.

Embora continue distante dos quase 120 mil pontos que alcançou no final de janeiro, o Ibovespa já acumula valorização de cerca de 60% desde as mínimas do ano registradas em março.

Para o analista José Falcão, da Easynvest, correções e realização de lucros não estão descartadas, mas o movimento principal da bolsa é de alta e não há sinais de mudança dessa tendência. “O cenário é positivo, de bolsa em alta, sem sinais de reversão nesse momento”, reiterou.

Ele ponderou, contudo, que o mercado precisa de dados e acontecimentos que deem mais força para o Ibovespa se consolidar acima dos 100 mil pontos, bem como a proximidade da temporada de balanços do segundo trimestre pode frear o fôlego. A temporada das empresas do Ibovespa começa dia 22, com a divulgação do balanço de Weg.

LEIA TAMBÉM: Amazon planeja gastar pelo menos US$ 100 mi para manter funcionários da Zoox

No exterior, o norte-americano S&P 500 subiu 1% com a notícia de que o medicamento remdesivir da Gilead melhorou significativamente a recuperação clínica e reduziu o risco de morte em pacientes com Covid-19.

A alta de novos casos de coronavírus nos Estados Unidos tem adicionado cautela mais recentemente, principalmente por causa de temores quanto a uma volta de medidas de lockdown que afete a retomada da maior economia do mundo.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).