Sony tem queda menor de lucro que o esperado no trimestre

Unidade de videogames teve crescimento acelerado ajudado pelas medidas de quarentena.

Redação
Compartilhe esta publicação:

Sony surpreendeu o mercado ao reportar uma queda de apenas 1,1% no lucro do primeiro trimestre fiscal

Acessibilidade


A Sony surpreendeu o mercado hoje (4) ao reportar uma queda de apenas 1,1% no lucro do primeiro trimestre fiscal, e mostrando que a unidade de videogames teve crescimento acelerado ajudado pelas medidas de quarentena.

A área de videogames da Sony “viu um impacto positivo dos consumidores atingidos por medidas de isolamento social”, disse o vice-presidente financeiro, Hiroki Totoki.

LEIA MAIS: Forbes promove primeiro webinar sobre Saúde Mental nas empresas. Participe

A Sony teve lucro de abril a junho de 228,4 bilhões de ienes (US$ 2,15 bilhões), superando expectativa média de 143,21 bilhões compilada pela Refinitiv junto a 10 analistas do setor.

A empresa também previu que o lucro caia 26,7%, para 620 bilhões de ienes, no ano fiscal que se encerra em março de 2021, o menor resultado positivo em quatro anos, mas melhor do que uma queda de pelo menos 30% estimada em maio.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Sony previu que o lucro da área de videogames suba para 240 bilhões de ienes neste ano fiscal, impulsionado por um forte aumento nas vendas de jogos e em conjunto com o lançamento do console PlayStation 5, no final de 2020.

A companhia espera que todos os outros segmentos tenham lucros menores, incluindo uma queda de 45%, para 130 bilhões de ienes, em seus negócios de sensores de imagem.

A Sony, que fornece sensores de câmeras para fabricantes de smartphones, incluindo Apple e Huawei, vai cortar 50 bilhões de ienes de seu plano de investimentos de três anos no segmento, para 650 bilhões de ienes, disse Totoki.

A empresa de pesquisa de mercado IDC estima que o mercado mundial de smartphones caia 12% em 2020. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: