Ibovespa acompanha melhora em NY e fecha em alta de mais de 1%

O Ibovespa fechou em alta hoje (9), acompanhando o viés mais positivo nos mercados acionários no exterior e a trégua na queda dos preços do petróleo, com os papéis de siderúrgicas entre as maiores altas.

Leia mais: 100 empresas que fizeram as maiores doações no Brasil

Índice de referência da bolsa brasileira, o Ibovespa encerrou com acréscimo de 1,24%, a 101.292,05 pontos. O volume financeiro da sessão somou R$ 24 bilhões. Nos Estados Unidos, os principais índices de ações em Wall Street reagiram forte.

“O Ibovespa subiu hoje com investidores acompanhando o forte movimento de alta nas bolsas internacionais, com destaque para recuperação das ações de tecnologia que haviam passado por fortes baixas nos últimos três pregões”, observou o analista Régis Chinchila, da Terra Investimentos.

No front doméstico, ele destacou comentário do ministro da Economia, Paulo Guedes, de que a reforma administrativa proposta pelo governo representa economia de R$ 300 bilhões em gastos com o serviço público.

“O mercado continua monitorando os detalhes das reformas que tramitam no Congresso e podem destravar valor nesse movimento de reabertura e reaquecimento da economia brasileira”, acrescentou.

Leia também: Itaú é marca mais valiosa de 2020 no ranking da Kantar/WPP

Após a notícia de suspensão dos testes com a candidata a vacina contra o Covid-19 da AstraZeneca, trouxe algum alento comentário do governador de São Paulo de que resultados dos testes clínicos em estágio avançado da potencial vacina da chinesa Sinovac têm sido “extremamente positivos”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).