China investiga preços e ofertas de commodities

Ação da NDRC visa conter os altos preços das commodities que pressionam as margens de produtores.

Redação
Compartilhe esta publicação:
David Gray/Reuters
David Gray/Reuters

Esforços da NDRC visam conter os altos preços das commodities como carvão e cobre

Acessibilidade


O departamento de preços da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma da China (NDRC, na sigla em inglês) e a agência reguladora do mercado no país enviaram equipes a diversas províncias e cidades chinesas para investigar os preços e ofertas de commodities a granel.

A NDRC, órgão estatal de planejamento da China, tem se envolvido fortemente em esforços para conter os altos preços das commodities, do carvão ao cobre, que pressionaram as margens de produtores na segunda maior economia do mundo. Em maio, os preços ao produtor no país avançaram no ritmo anual mais acelerado em mais de 12 anos.

LEIA TAMBÉM: Senado aprova MP que eleva tributação de instituições financeiras, texto volta à Câmara

“Os grupos de trabalho vão descobrir mais sobre as transações no mercado ‘spot’ de commodities a granel, e ouvirão cuidadosamente o feedback das companhias de mid e downstream” sobre os níveis de oferta e as flutuações dos preços, disse a NDRC em um comunicado hoje (23).

Eles também vão escutar sugestões sobre como combater a especulação – depois que compras especulativas nas bolsas de commodities contribuíram para o rali dos preços – e assegurar as ofertas, acrescentou o comunicado.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A mais recente nota da NDRC é divulgada após a comissão ter afirmado na última segunda-feira (21) que estava investigando transações no mercado “spot” de minério de ferro em conjunto com a Administração Estatal para Regulação do Mercado. Na semana passada, os dois órgãos já haviam anunciado medidas semelhantes para avaliar os preços do carvão.

 

Carvão dispara 5% em Dalian com aperto de oferta; minério de ferro também sobe

Os contratos futuros do carvão metalúrgico negociados na China fecharam em alta de 5% hoje (23), avançando pela segunda sessão consecutiva, diante de preocupações com a oferta, já que inspeções de segurança conduzidas por autoridades locais suspenderam a produção em algumas minas.

Os futuros mais negociados do carvão coque na bolsa de commodities de Dalian, para entrega em setembro, terminaram o dia cotados a 2.037 iuanes (US$ 314,24) por tonelada.

“Devido a investigações do governo após uma série de acidentes em minas recentemente, algumas usinas estão enfrentando escassez de oferta do material”, disse Zhuo Guiqiu, analista da Jinrui Futures, acrescentando que as importações de carvão metalúrgico também não melhoraram.

VEJA MAIS: Santander Brasil lança capital de giro com uso de garantia

Os futuros do carvão coque também têm sido negociados com um desconto frente aos preços “spot”, que giram em torno de 2.200 iuanes por tonelada, acrescentou Zhuo.

Acompanhando o salto no carvão, os preços do coque dispararam 5,6%, para 2.784 iuanes por tonelada.

Os futuros do minério de ferro na bolsa de Dalian se recuperaram após três sessões de perdas, avançando 4,0%, para 1.173 iuanes a tonelada. (Com Reuters)

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: