Ibovespa hoje: Bolsa acompanha Wall Street e opera em queda com tensões na Ucrânia

Alguns países ameaçaram impor sanções caso os russos invadam o país vizinho, embora Moscou negue que tenha planos para uma ofensiva.

Isabella Velleda
Compartilhe esta publicação:

Getty Images

Acessibilidade


O Ibovespa opera em queda de 1,79%, a 106.958 pontos, às 14h08 de hoje (24), diante de uma aversão ao risco nos mercados internacionais por conta da escalada de tensões na Ucrânia.

Alguns países ameaçaram impor sanções caso os russos invadam o país vizinho, embora Moscou negue que tenha planos para uma ofensiva.

Na cena doméstica, a pauta fiscal segue no radar após a sanção do Orçamento de 2022 pelo presidente Jair Bolsonaro, que incluiu previsão de R$ 1,7 bilhão de reais para reajustes de servidores públicos.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

A peça ainda projeta R$ 4,9 bilhões para alimentar o fundo eleitoral. Bolsonaro vetou R$ 3,2 bilhões com o objetivo de recompor verbas de pessoal, menos do que o estimado anteriormente.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Marfrig é o principal destaque positivo da sessão, com alta de 5,30%, após analistas do Jefferies elevarem o preço-alvo das ações da empresa de R$ 25 para R$ 27. O banco afirmou que a nova estimativa leva em consideração o potencial de lucratividade de curto prazo da empresa e o seu preço descontado em relação a empresas do setor baseadas nos EUA.

Em Wall Street, as bolsas operam em queda. Às 14h08, o Dow Jones caía 2,62% a 33.368 pontos e o Nasdaq recuava 3,90% a 13.231 pontos. O S&P 500 perdia 3,22% a 4.256 pontos, e acumulava perda de 10,9% em relação ao recorde de fechamento de 3 de janeiro, o que o deixa a caminho de uma correção – movimento que é confirmado quando um índice fecha 10% ou mais abaixo do da máxima de encerramento.

A perspectiva de um ataque russo à Ucrânia representa um golpe duplo para investidores já preocupados com as chances de um aperto agressivo da política monetária pelo Federal Reserve, banco central norte-americano.

“A Ucrânia é claramente uma preocupação que pesa sobre os mercados hoje”, disse Darren Schuringa, presidente executivo da ASYMmetric ETFs. “[A questão] continuará pesando nos mercados no futuro próximo até que haja algum tipo de resolução e mais clareza sobre como será o desfecho.”

No mesmo horário, o dólar era negociado em alta de 0,86%, a R$ 6,2395 na venda, impulsionado pelas tensões geopolíticas e pelas expectativas de aumento nos juros dos EUA. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: