Fechamento Ibovespa hoje: Bolsa fecha em leve alta apesar da queda dos bancos

Resultados aquém do esperado no balanço do Bradesco contaminaram o setor financeiro .

Vitória Fernandes
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa fechou hoje (9) em alta de 0,21%, a 112.473 pontos, após um pregão marcado pela alta do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de janeiro e queda das ações de grandes bancos, como Bradesco (BBDC4) e Itaú (ITUB4).

O Bradesco divulgou, ontem (8), o seu balanço financeiro do 4º trimestre, que veio abaixo das expectativas dos analistas. O banco registrou lucro líquido recorrente de R$ 6,6 bilhões, uma queda de 2,8% sobre o mesmo período de 2020. Os papéis da empresa passaram o dia entre as maiores baixas do Ibovespa e fecharam o pregão com recuo de 8,27%.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

A queda das ações do Bradesco contaminou outras instituições financeiras: o Itaú cedeu 3,87%, Santander (SANB11) perdeu 2,04% e o Banco do Brasil (BBAS3), 0,53%.

Os papéis da Natura (NTCO3) registraram a maior alta do dia, de 7,19%. A Azul (AZUL4) também se destacou, subindo 6,10% após anunciar crescimento de 19,5% na demanda por voos em janeiro.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

No cenário corporativo, o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) aprovou a compra da Oi Móvel pelas rivais TIM (TIMS3), Vivo (VIVT3) e Claro, em um dos mais importantes casos já discutidos pelo órgão. Os papéis da Tim encerraram o dia em alta de 5,06% e os da Vivo subiram 2,52%.

Em Wall Street, os principais índices fecharam em alta após uma sessão focada nos altos rendimentos dos títulos do governo dos Estados Unidos. Por lá, os investidores aguardam a divulgação do Índice de Preços ao Consumidor (CPI), programada para amanhã (10).

O Dow Jones fechou em alta de 0,86% a 35.768 pontos; o S&P 500 ganhou 1,45%, a 4.587 pontos; e o Nasdaq subiu 2,08%, a 14.490 pontos.

O dólar caiu 0,65% e fechou no menor patamar em quase cinco meses, batendo os R$ 5,2259, com as vendas de moeda no Brasil ocorrendo em mais um dia de apetite por risco no exterior. (Com Reuters).

Compartilhe esta publicação: