Com a alta das commodities, está na hora de investir em petróleo?

Sanções à Rússia elevam preços da commodity ao maior nível desde 2008.

Vitória Fernandes
Compartilhe esta publicação:
Christian Hartmann/Reuters
Christian Hartmann/Reuters

O petróleo bruto russo responde por cerca de 10% da oferta global

Acessibilidade


A guerra entre Rússia e Ucrânia têm alavancado o preço do petróleo aos maiores níveis dos últimos 14 anos. O barril da commodity chegou a ser vendido a US$ 139, maior cotação desde o recorde de US$ 147,50, em 2008. Em 2022, o petróleo acumula alta de mais de 50%.

O forte aumento dos preços é causado pelas sanções adotadas pelos Estados Unidos, União Europeia e seus aliados contra a Rússia. As medidas impactaram as cadeias de produção mundiais, que estavam se recuperando dos efeitos da pandemia do coronavírus.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Ontem (8), Washington e Londres anunciaram um embargo à importação do petróleo produzido pela Rússia. A decisão reduziu a oferta mundial da commodity em cerca de 10%.

“Essa alta dos preços deve perdurar enquanto houver guerra. A Rússia, grande produtora de petróleo, tinha muitos países dependentes dela, como por exemplo a Alemanha. Com as restrições, esses países passam a buscar petróleo em outras nações aliadas, o que deixa a commodity ainda mais cara”, explica Davi Lelis, especialista da Valor Investimentos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Considerando a velha máxima dos investimentos “comprar na baixa, vender na alta”, o momento de apostar no petróleo já passou?

“Como o preço já subiu bastante, talvez o investidor tenha perdido boa parte da subida. É importante ter exposição a esses ativos em sua carteira para aproveitar a alta, sem dúvida continuamos sugerindo apostar nas ações do setor”, Rodrigo Sgavioli, head de alocação e fundos da XP Investimentos.

Leia mais: Alta do petróleo continuará com sanções à Rússia aquecendo mercado

Para Luiz Carlos Corrêa, sócio da Nexgen Capital, o cenário é muito instável e traz volatilidade aos papéis, mas o desempenho das petrolíferas tem sido forte. “Elas são empresas mais sólidas e, em momentos como este, sejam mais procuradas. Isso faz com que as ações dessas companhias continuem em tendência de alta”.

Grandes investidores, como Warren Buffett, também estão apostando no momento positivo. A Berkshire Hathaway, empresa do bilionário, adquiriu 30 milhões de ações da Occidental Petroleum (OXYP34). A movimentação resultou em um investimento de US$ 1,6 bilhão na petrolífera.

Onde investir?

Para Sgavioli, da XP, as empresas ligadas ao setor de petróleo devem continuar se beneficiando do ciclo de alta, como Petrobras (PETR3 e PETR4), PetroRio (PRIO3) e 3R Petroleum (RRRP3).

Ele alerta, no entanto, que os papéis da Petrobras podem ser prejudicados pelo debate em torno da política de reajuste de preços e pelo temor de uma intervenção do governo na estatal.

Os fundos indexados e os fundos multimercados também são indicados pelos especialistas como investimentos para aproveitar o movimento de alta.

Por fim, o conselho deles é: não deixe de ler relatórios, acompanhar os investimentos de perto e conferir as notícias para saber o desempenho da commodity e o que afetará o mercado daqui para frente.

Compartilhe esta publicação: