Ibovespa fecha em baixa com quedas de Petrobras e embargo a petróleo russo no radar

Alta do minério de ferro impulsiona ações de empresas que comercializam a commodity.

Vitória Fernandes
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa renovou mínimas e recuou 2,52%, fechando cotado a 111.593 pontos no pregão de hoje, com novas incertezas sobre a guerra na Ucrânia. Os preços do petróleo e minério de ferro ditaram a movimentação da Bolsa de Valores – investidores aguardam novas sanções dos Estados Unidos à Rússia.

O petróleo Brent fechou em alta de 4,70%, impulsionando as ações das principais petrolíferas do mundo. No Brasil, a situação foi outra. As ações da Petrobras (PETR3/PETR4) recuaram 8,63% após o governo federal afirmar que estuda alternativas à política de reajuste dos preços dos combustíveis, visando revogar a paridade com os preços internacionais.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou que avalia um embargo total ao petróleo produzido por Moscou. Na Rússia, o vice-primeiro-ministro Alexander Novak afirmou que os preços do petróleo podem ultrapassar a marca fos US$ 300 dólares por barril caso os Estados Unidos e a União Europeia proíbam as importações.

A alta de 7% do minério de ferro, por sua vez, impulsionou as ações de Vale (VALE3), que se valorizaram 2,63%.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Em Wall Street, os principais índices fecharam em queda de olho na situação da Ucrânia. O Dow Jones recuou 2,37% a 32.817 pontos; o S&P 500 perdeu 2,95%, a 4.201 pontos; e o Nasdaq fechou em queda de 3,62% a 12.830 pontos.

Por lá, a invasão russa reduziu a expectativa de uma melhora no quadro inflacionário. Os preços das bombas de combustíveis sobem no ritmo mais rápido em quase 17 anos, enquanto os valores dos alimentos também estão prestes a saltar, de acordo com economistas consultados pela Reuters.

O dólar fechou em alta de 0,02% cotado a R$ 5,0787, abandonando o movimento de desvalorização visto no início do pregão. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: