Multilaser assume gestão de produtos de segurança de chinesa Hikvision no Brasil

O anúncio acontece no momento em que a Multilaser tem feito diversas parcerias e aquisições em novos negócios.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Stringer/Reuters
Stringer/Reuters

Sede da Hikvision em Hangzhou, na província de Zhejiang, China

Acessibilidade


A Multilaser anunciou hoje (8) acordo para assumir a produção no Brasil de equipamentos de segurança da gigante chinesa HikVision, em uma estratégia da empresa brasileira de eletrônicos de consumo para se diversificar para nichos de alto crescimento e ampliar receitas.

Pelo acordo, a partir do terceiro trimestre, a Multilaser assumirá a distribuição e venda de câmeras de segurança de nível básico da marca HiLook, da Hikvision, destinadas a pequenos projetos. Também ficará responsável pela linha Hikstorage, de itens de memória.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Num primeiro momento, as marcas serão mantidas, explicou o vice-presidente de produto da Multilaser, André Poroger, com os kits fabricados pela Hikvision vindo ao país para montagem na unidade da empresa brasileira em Manaus. Além disso, a marca própria da empresa brasileira no setor, Multilaser Giga, será mantida, disse.

“Isso deve ajudar nossa divisão de produtos de segurança a crescer em importância dentro do faturamento da Multilaser”, afirmou Poroger à Reuters, mas declinando de detalhar números.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O anúncio acontece no momento em que a Multilaser tem feito parcerias e aquisições em novos negócios enquanto sua divisão principal de eletrônicos de consumo, que inclui produtos como tablets, tem enfrentado uma acomodação no Brasil, após cerca de um ano de expansão explosiva na esteira dos efeitos da pandemia.

Mesmo com crescimento de 70% na receita líquida em 2021, a R$ 4,85 bilhões, a ação da Multilaser vale hoje quase metade da cotação de estreia na B3, em julho do ano passado. O movimento ocorreu com a rápida piora das expectativas do mercado para empresas de alto crescimento e baseadas em tecnologia, diante da deterioração da macroeconomia no país, com inflação alta e juros em elevação.

No mês passado, a Multilaser anunciou a compra da fabricante de bicicletas, patinetes e scooters elétricos Watts, dias depois de fazer uma parceria com outra gigante chinesa, a DJI, fabricante de drones.

No caso da Hikvision, a parceria veio após a empresa chinesa presente em mais de 150 países e com receita de 7,5 bilhões de euros nos primeiros nove meses de 2021, ter sido um dos alvos da campanha do governo dos Estados Unidos contra companhias da China acusadas de promover espionagem no país para Pequim.

A Comissão Federal de Comunicações dos EUA (FCC) incluiu a Hikvision em março do ano passado em um grupo de empresas consideradas como ameaça à segurança nacional, sob uma lei de 2019 destinada a proteger as redes de comunicação do país.

Questionado sobre o assunto, Poroger negou que haja uma correlação entre sanções do governo norte-americano com a decisão da Hikvision de passar a gestão de suas marcas no Brasil para a Multilaser, mencionando que a empresa chinesa também tem se concentrado na produção de recursos integrados de inteligência artificial, computação em nuvem e biometria.

Compartilhe esta publicação: