Os bilionários russos que mais perderam dinheiro com a guerra na Ucrânia

Guerra, sanções e o enfraquecimento do rublo causaram grandes estragos nas fortunas das pessoas mais ricas do país.

David Dawkins
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Alguns bilionários russos perderam metade da sua fortuna no último ano

Acessibilidade


A guerra de Vladimir Putin na Ucrânia, o custo das sanções a toda a elite russa e o rublo enfraquecido afetaram a riqueza dos bilionários da Rússia. São 83 russos na lista da Forbes de 2022 dos bilionários do mundo, abaixo dos 117 do ano passado. Os bilionários russos restantes valem coletivamente US$ 320 bilhões (R$ 1,48 trilhão, na cotação atual) – US$ 263 bilhões a menos do que um ano atrás.

Esses bilionários perderam, em média, 27% de sua riqueza – ou US$ 2 bilhões – cada um desde o ano passado. Seis magnatas viram sua riqueza cair em dois dígitos de bilhões de dólares: Leonid Mikhelson (-US$ 10,9 bilhões), Alexey Mordashov (-US$ 15,9 bilhões), Gennady Timchenko (-US$ 10,7 bilhões), Vagit Alekperov (-US$ 14,4 bilhões), Suleiman Kerimov (-US$ 11,4 bilhões) e Tatyana Bakalchuk (-US$ 10,9 bilhões).

VEJA TAMBÉM: Quem são os ex-bilionários que saíram da lista da Forbes em 2022

35 russos que eram bilionários no ano passado saíram do ranking em 2022. Entre as quedas mais notáveis ​​estão o banqueiro russo Oleg Tinkov e o gigante de tecnologia Arkady Volozh.

Ao longo do ano passado, a Rússia fez apenas dois novos cidadãos bilionários: Denis Sverdlov, da startup EV Arrival, com sede em Londres, e Egor Kulkov, um dos primeiros parceiros da Pharmstandard, uma empresa farmacêutica com sede em Moscou, e agora investidor na CMR Surgical, uma fabricante de cirurgiões-robôs que arrecadou US$ 600 milhões em financiamento em 2021.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Confira a seguir seis dos russos mais notáveis ​​cujas fortunas despencaram. Os patrimônios líquidos são de 11 de março de 2022 e as as comparações são em relação a 5 de março de 2021

Vladimir Lisin

Patrimônio em 2022: US$ 18,4 bilhões (redução de US$ 7,8 bilhões)

Getty Images

Lisin é a pessoa mais rica da Rússia, mas perdeu US$ 7,8 bilhões, ou 30%, em relação ao ano anterior. Seu Grupo NLMK é um dos maiores produtores de aço da Rússia. Um dos primeiros bilionários a criticar publicamente a guerra, em uma carta a seus funcionários posteriormente publicada no LinkedIn em março, ele disse que as “vidas perdidas” na Ucrânia foram uma “tragédia enorme impossível de justificar”. Ao contrário de muitos outros oligarcas russos, Lisin não foi sancionado pessoalmente.

Roman Abramovich

Patrimônio em 2022: US$ 6,9 bilhões (redução de US$ 7,6 bilhões)

Getty Images

Embora o proprietário do Chelsea tenha ganhado seus primeiros bilhões durante a era do empreendedorismo pós-soviético do presidente Boris Yeltsin, Abramovich hoje é o rosto mais famoso das recentes sanções provocadas por Putin. O oligarca possivelmente foi envenenado enquanto facilitava as primeiras negociações de paz entre a Rússia e a Ucrânia. Pelo menos quatro de seus ativos, incluindo um jato Gulfstream G650, uma mansão de 15 quartos em Londres no valor de US$ 140 milhões (R$ 650 milhões) e seu amado time de futebol Chelsea foram congelados pelos governos ocidentais. Na verdade, ele foi pressionado a colocar o Chelsea à venda devido às sanções. Na época, ele anunciou que criaria uma fundação de caridade e o governo do Reino Unido deixou claro que só aprovará uma venda se Abramovich for embora sem embolsar um centavo. Ele também tem participações em duas gigantes russas de commodities – Evraz e Norilsk Nickel, que perderam bilhões em valor. Enquanto isso, seus dois iates, no valor de US$ 900 milhões (R$ 4,1 bilhões), estão ancorados fora de alcance na Turquia.

Vladimir Potanin

Patrimônio em 2022: US$ 17,3 bilhões (redução de US$ 9,7 bilhões)

Getty Images

Potanin é agora a segunda pessoa mais rica da Rússia, mas perdeu quase US$ 10 bilhões em fortuna estimada desde o ano passado. Outro dos oligarcas a sobreviver à transição de Yeltsin para Putin, a participação de 35% de Potanin na mineradora de níquel e paládio Norilsk Nickel foi prejudicada após a invasão da Ucrânia pelas forças russas, embora as ações tenham se recuperado nas semanas seguintes.

Alexey Mordashov

Patrimônio em 2022: US$ 13,2 bilhões (redução de US$ 15,9 bilhões)

Getty Images

A ex-pessoa mais rica da Rússia perdeu mais da metade de seu patrimônio líquido estimado desde o ano passado. Mordashov foi sancionado pela UE em fevereiro por suas “ligações com os tomadores de decisão russos”. Mordashov é acionista majoritário da siderúrgica Severstal e do TUI Group, uma das maiores empresas de viagens e turismo do mundo.

Vagit Alekperov

Patrimônio em 2022: US$ 10,5 bilhões (US$ 14,4 bilhões)

Getty Images

Alekperov tem uma participação na gigante petrolífera Lukoil, uma das maiores empresas da Rússia, depois das estatais Sberbank e Rosneft. A empresa rompeu com os outros gigantes da Rússia ao expressar suas “mais profundas preocupações com os trágicos eventos na Ucrânia” e “sincera empatia por todas as vítimas afetadas por essa tragédia”. Alekperov, que já foi trabalhador de uma plataforma de petróleo, perdeu mais da metade de sua fortuna desde o ano passado.

Suleiman Kerimov e família

Patrimônio em 2022: US$ 4,4 bilhões (redução de US$ 11,4 bilhões)

Getty Images

O magnata do ouro Suleiman Kerimov é membro da câmara alta do parlamento da Rússia e tem uma fortuna vinda da produtora de ouro Polyus. Kerimov foi punido pela primeira vez pelos EUA em 2018 por suposta lavagem de dinheiro relacionada à compra de moradias na França. A UE o sancionou em 15 de março de 2022.

Leia mais:

Bilionários 2022: Elon Musk é a pessoa mais rica do mundo

Novos bilionários 2022: brasileiros da Brex, Rihanna e outros 233 entram na lista

As mulheres mais ricas do mundo em 2022

Veja quem são os bilionários com menos de 30 anos em 2022

Compartilhe esta publicação: