Prejuízo em golpes com criptomoedas soma mais de US$1 bi desde 2021

Vínculo de mídias sociais com as criptomoedas tem dado combustível para as fraudes, relata agência dos Estados Unidos

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Foto: Getty Images
Getty Images

Vínculo de mídias sociais com criptomoedas tem dado combustível para fraudes.

Acessibilidade


Mais de 46 mil pessoas relataram perder um total de mais de US$ 1 bilhão em golpes com criptomoedas desde o início de 2021, disse a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC), em um relatório divulgado hoje (3).

Quase metade das vítimas disseram que os golpes começaram com um anúncio, publicação ou mensagem em redes sociais, de acordo com a FTC.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

O frenesi por criptomoedas estava em alta no ano passado, retroalimentado por uma forte valorização do bitcoin (BTC), que atingiu recorde de US$ 69 mil em novembro.

Relatórios têm citado que o vínculo de mídias sociais com criptomoedas tem dado combustível para fraudes, disse a agência, acrescentando que cerca de US$ 575 milhões de todas as perdas relacionadas a fraudes com moedas digitais envolveram “oportunidades de investimento falsas”.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Quase quatro em cada dez dólares perdidos em golpes nas redes sociais ocorreram com criptomoedas, muito mais do que qualquer outro método de pagamento.

Instagram, Facebook, WhatsApp, as três mídias do Meta (FB); e Telegram são as principais plataformas de mídia social usadas por golpistas nesses casos, de acordo com o relatório.

O prejuízo médio relatado por cada vítima foi de US$ 2.600 e bitcoin, tether (USDT) e ethereum (ETH) foram as principais criptomoedas usadas nos golpes, disse a FTC.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: