Carros elétricos no Brasil: pontos de recarga das principais marcas

Audi, BMW e Volvo expandem estrutura enquanto Nissan reforça parcerias e Toyota aposta na tecnologia hibrida .

Luiz Gustavo Pacete
Compartilhe esta publicação:

Em janeiro de 2021, a estrutura de recarga veicular pública e mista nacional não era maior do que 350 pontos de recarga por todo o país, porém, o ano terminou com 1000 pontos (Crédito: Getty Images)

Acessibilidade


A indústria de carros elétricos vem apresentando números expressivos no Brasil. De todos os veículos comercializados no país em 2021, 2851 são 100% elétricos. Esse montante representa um crescimento de mais de 250% em relação aos 801 vendidos em 2020. E as perspectivas seguem em alta. Com um número cada vez maior de opções e mais veículos nas ruas, a pergunta sobre a estrutura de recarga é cada vez mais presente. Investimento e expansão da estrutura têm sido premissas para as principais marcas que atuam com elétricos no Brasil.

Davi Bertoncello, diretor da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE) e CEO e cofundador da Tupinambá Energia & Mobilidade, lembra que, para o setor de infraestrutura de recarga veicular, o ano de 2021 foi um período de afirmação. “Em janeiro, a estrutura de recarga veicular pública e mista nacional não era maior do que 350 pontos por todo o país. O ano terminou com 1 mil pontos espalhados por todas as regiões. Para o ano que se inicia, a perspectiva de crescimento continua a todo o vapor e a malha de recarga deve triplicar novamente nos próximos 12 meses”, explica.

A estratégia de recarga da Audi

“A oferta de pontos de recarga de carros elétricos está evoluindo muito rapidamente no Brasil por dois motivos principais. Primeiro, porque o número de veículos eletrificados está aumentando, apesar do volume ainda ser baixo. Segundo, porque a infraestrutura de recarga ainda é um dos pontos que mais preocupa os clientes na hora de decidir por um modelo elétrico. Por estas razões a Audi está atuando em três frentes: já instalamos mais de 80 pontos de recarga AC de 22kW desde 2020, temos um projeto conjunto com EDP, Porsche e Volkswagen para instalar estações de recarga ultrarrápidas em rodovias e acabamos de anunciar, em dezembro, um investimento de R$ 20 milhões para instalar cerca de 40 pontos de recarga ultrarrápida de 150kW em quase todas as nossas concessionárias no Brasil”, explica Daniel Rojas, diretor de vendas da Audi do Brasil.

Rojas ressalta que, parte dessa infraestrutura está ocorrendo em locais com características distintas. “Um exemplo são os pontos em hotéis, restaurantes e shoppings, locais onde o cliente não vai com o objetivo de carregar o carro, mas aproveita que já está lá para fazer uma recarga. Outro exemplo são as estações de carregamento em rodovias, normalmente mais potentes, para possibilitar uma recarga rápida e a continuação de uma viagem mais longa.”

Parceiras e investimentos no foco da Volvo

Para Rafael Ugo, diretor de marketing da Volvo Car Brasil, a estrutura vem evoluindo de forma constante e inclui parcerias e investimentos. “A Volvo irá investir cerca de R$ 10 milhões na primeira fase da instalação de novos corredores elétricos, para que os consumidores possam realizar viagens longas também no seu XC40 Recharge Pure Electric, sem se preocupar com a falta de pontos de carregamento”, explica. Além dos corredores elétricos, a marca também realizou uma nova parceria com a EcoRodovias, que irá instalar os Wallbox Volvo em 50 bases operacionais ou de atendimento aos usuários da rodovia até fevereiro de 2022. “A recarga hoje é feita de maneira intuitiva e totalmente gratuita, basta encontrar um eletroposto, encostar o carro e conectar a tomada de carregamento. Com relação a viagem longa, sabemos que essa ainda é uma dor do consumidor de veículos 100% elétricos e por isso iremos investir em corredores que conectam cidades e estados”, explica Ugo.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Evolução na estrutura da BMW

“Percebemos que 80% dos carregamentos no Brasil é feito nas residências e por isso todos os nossos veículos são comercializados com dois carregadores, sendo um convencional e um rápido. Além disso, já temos mais de 400 carregadores públicos, em mais de 80 cidades, em 21 estados no Brasil e seguiremos com a expansão de produtos e tecnologias no país em 2022, quando lançaremos os novos BMW iX e i4”, declara Henrique Miranda, Gerente de Eletrificação e projetos de marketing no BMW Group Brasil.

A Nissan, que comercializa o Leaf no Brasil desde 2019, mantém parcerias com Enel, EMB e Zletric para pontos de recarga.

  • Audi
    Em uma parceria inédita com sua rede de concessionárias, a marca investirá mais de R$ 20 milhões na instalação de pontos de recarga ultrarrápidos de 150kW nas lojas da marca no País. Em fevereiro de 2020, a Audi já havia anunciado, em uma primeira fase, investimentos de R$ 10 milhões em infraestrutura de recarga de veículos elétricos para instalação de 200 pontos até 2022.

  • BMW
    A BMW atua com venda de automóveis elétricos no Brasil com a comercialização do BMW i3 desde 2014 e possui mais de 400 carregadores públicos, em mais de 80 cidades e em 21 estados no Brasil.

  • Nissan
    A Nissam mantém parcerias com Enel, EMB e Zletric para pontos de recarga do Leaf.

  • Toyota
    Por ter o modelo hibrido Prius a marca dispensa recarga no Brasil.

  • Volvo
    A Volvo já possui cerca de 1.000 pontos em todo o Brasil e a expectativa é aumentar ainda mais. Todos os pontos de recarga carregam todos os modelos de veículos com o plug tipo 2, inclusive de outras marcas.

Audi
Em uma parceria inédita com sua rede de concessionárias, a marca investirá mais de R$ 20 milhões na instalação de pontos de recarga ultrarrápidos de 150kW nas lojas da marca no País. Em fevereiro de 2020, a Audi já havia anunciado, em uma primeira fase, investimentos de R$ 10 milhões em infraestrutura de recarga de veículos elétricos para instalação de 200 pontos até 2022.

 

Compartilhe esta publicação: