Rússia vai abandonar a Estação Espacial Internacional

Decisão está sendo vista como uma reação às sanções internacionais impostas à Rússia pela invasão da Ucrânia

Jamie Carter
Compartilhe esta publicação:
Foto: Divulgação/Nasa
Foto: Divulgação/Nasa

Estação Espacial Internacional vista da nave Soyuz

Acessibilidade


A Rússia deixará de enviar astronautas para a Estação Espacial Internacional (ISS) no início de 2024 e desenvolverá uma estação orbital própria, no que está sendo visto como uma reação às sanções impostas à Rússia pela invasão da Ucrânia.

A notícia chega poucos dias depois que a Nasa e a agência espacial russa Roscosmos chegaram a um acordo para permitir que os astronautas russos fizessem viagens à ISS na cápsula Dragon da SpaceX.

Leia mais: SpaceX supera recorde de lançamentos com missão da Starlink

“Estamos trabalhando no âmbito da cooperação internacional na Estação Espacial Internacional”, disse Yuri Borisov, chefe da Roscosmos, de acordo com a agência de notícias estatal TASS. “É claro que cumpriremos todas as nossas obrigações com nossos parceiros, mas a decisão de deixar esta estação após 2024 foi tomada.”

Ele também lançou a ideia da Estação de Serviço Orbital Russa (ROSS). “Continuaremos o programa tripulado de acordo com os planos aprovados”, disse Borisov. “As principais prioridades serão feitas na criação da estação orbital russa.”

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A ROSS pode ficar pronta em 2025. Borisov foi nomeado há algumas semanas para substituir Dmitry Rogozin, que estava no cargo desde 2018. Anteriormente, ele era vice-primeiro-ministro do país.

Há atualmente sete astronautas na ISS – três cosmonautas russos, três astronautas da Nasa e um astronauta da Agência Espacial Europeia.

A próxima troca da tripulação está programada para 21 de setembro do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, quando a espaçonave Soyuz MS-22 levará Sergei Prokopyev e Dmitry Petelin (Roscosmos) e Frank Rubio (Nasa) para a ISS.

Em 29 de setembro de 2022, a Nasa e a SpaceX planejam lançar a missão Crew-5 do Kennedy Space Center da Nasa, na Flórida, levando Nicole Mann e Josh Cassada (Nasa), Koichi Wakata (JAXA) e Anna Kikina (Roscosmos).

Será a primeira vez que um cosmonauta será lançado dos EUA em um veículo SpaceX.

As viagens mistas são o resultado de um acordo para permitir que os astronautas de cada agência peguem carona na espaçonave da outra. Foi um dos primeiros atos de Borisov como chefe da Roscosmos. “O acordo é do interesse da Rússia e dos Estados Unidos e promoverá o desenvolvimento da cooperação no âmbito do programa ISS”, dizia um comunicado segundo a Reuters.

A ISS foi lançada pela primeira vez em 1998 e tem sido continuamente tripulada desde novembro de 2000.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: