Conheça a empreendedora que transformou sua doença crônica num negócio milionário

Sami Hobbs/Reprodução
Sami Hobbs/Reprodução

Kristin Thomas é a fundadora do Health & Wellness Business School

Norte-americanos estão sofrendo com altos níveis de esgotamento, doenças e problemas de saúde. Um exemplo é que 83% dos profissionais do país relataram estresse relacionado ao trabalho, que custa às empresas até US$ 300 bilhões a cada ano em tratamento, ausência e perda de produtividade.

No Brasil, segundo dados do ISMA (International Stress Management Association, ou Associação internacional de Tratamento de Estresse), 72% dos trabalhadores já desenvolveram alguma sequela ocasionada pelo estresse, sendo que 32% deles sofrem de Síndrome de Burnout, distúrbio caracterizado por esgotamento físico e mental intenso relacionado ao ambiente profissional.

Leia mais: Por que Richard Branson é a isca preferida dos golpistas

Muitas pessoas ignoram seus problemas de saúde até que seja tarde demais. Apenas 23% da população adulta dos Estados Unidos faz exercícios suficientes, mais de 40% sofre de doenças crônicas e apenas 12,2% é metabolicamente saudável. Não é de admirar que estejam ficando doentes.

Não há solução fácil para esta epidemia. Ela passa por uma mudança significativa no paradigma do provedor de saúde, maior educação sobre o assunto e mudanças no estilo de vida. Então, por onde começar?

Kristin Thomas, fundadora da Health & Wellness Business School, que ensina profissionais de saúde e bem estar a construir negócios sustentáveis, lucrativos e centrados no coração, pode dar alguma luz. Kristin sofreu de doenças crônicas durante grande parte de sua vida. Suas batalhas contra a colite ulcerosa (uma doença inflamatória intestinal que causa úlceras no trato digestivo) e ambientes estressantes de trabalho a ensinaram que muitas empresas norte-americanas não se preocupam com a saúde de seus funcionários. Como acontece com muita gente, seu trabalho a sobrecarregava e tornava sua condição ainda pior.

Agora, sua missão é ajudar os norte-americanos a reverem sua saúde e ensinar os profissionais da área a expandirem seus negócios organicamente.

Na entrevista exclusiva a seguir, a empreendedora compartilha sua jornada em direção ao bem estar sustentável e à criação de um negócio lucrativo que reflete seus valores:

Forbes: O que despertou o seu interesse pelo seu negócio?

Kristin Thomas: Eu cresci em uma família de classe média em Connecticut e fui criada por duas gerações de mulheres fortes que me ensinaram a importância de ter um espírito empreendedor. Minha avó era uma mulher voltada para a carreira e vice-presidente de uma corporação, o que estava longe de ser a norma naquela época. Minha mãe também era uma empresária muito bem-sucedida e respeitada.

Eu sabia que também queria entrar no mundo dos negócios e sempre fui inspirada pela habilidade delas e pelo fato de seguirem suas paixões. Descobri pequenas maneiras de ganhar dinheiro desde cedo. Eu ajudava a administrar algumas vendas para a família e escrevia contos que vendia para minha família e amigos por US$ 0,50.

Forbes: De onde vem sua paixão por saúde e bem estar?

KT: Tive a sorte de aprender a importância de tratar meu corpo desde cedo. Minha mãe me ensinou a cozinhar refeições saudáveis, para que eu não ficasse tentada a comer besteira. Também me envolvi com atletismo na escola e fazia exercícios regularmente. Minha família tinha até uma horta de frutas e vegetais.

Essa paixão cresceu e eu queria estender o que aprendi aos meus entes queridos. Meu pai era fumante, então tentei mostrar a ele pesquisas sobre os efeitos adversos do cigarro para convencê-lo a parar. Infelizmente, ele nunca me ouviu. Eu queria o melhor para meu pai, mas me frustrei por ele nunca ter seguido meu conselho. Isso só me deixou mais motivada para mostrar às pessoas como é importante prestar atenção à saúde.

Forbes: Como foi sua experiência pessoal com a própria saúde?

KT: No início da faculdade, comecei a ter problemas de saúde digestiva que pareciam ter surgido do nada. Todos os médicos que consultei atribuíam esses problemas a condições como refluxo ácido e intolerância à lactose, mas nunca se preocuparam em diagnosticar quaisquer condições subjacentes possíveis. Eles me prescreveram muitos medicamentos diferentes, aos quais meu corpo não reagiu bem.

Em um certo momento, senti uma dor insuportável e acabei no hospital, onde fui diagnosticada com colite ulcerosa. Após meu novo diagnóstico, fui medicada com intensidade do que nunca. Foi horrível.

Forbes: Quais foram os momentos mais marcantes que levaram à sua jornada empreendedora?

KT: Mesmo tendo uma forte intuição de que algo estava errado com meu corpo, não tive muito tempo para me preocupar com isso. Ignorei o problema e fiz o que pensei que deveria fazer: trabalhar incansavelmente para promover minha carreira.

Eu era a principal responsável de uma empresa de marketing de alto nível e precisava provar meu valor para meu chefe, então sempre me esforcei muito, embora já estivesse trabalhando 12 horas ou mais por dia. Tomei medicamentos e fiz exames de laboratório durante meses, mas ainda sofria com os sintomas.

Uma noite, eu estava jantando com meu agora marido e tive o pior surto da minha vida. Ele queria me levar para o hospital, mas o simples pensamento de me mexer me fazia sentir uma dor terrível.

Depois de ir para o hospital na manhã seguinte, jurei que isso não aconteceria novamente. Que era possível manter a calma e não deixar a doença ou o estresse me vencerem. Mesmo assim, acabei no hospital mais três vezes. Depois da minha última consulta, conclui que a medicação não estava ajudando e decidi que tinha que haver outro jeito. E eu precisava encontrá-lo.

Leia também: Apple atinge valor de mercado de US$ 2 trilhões

Primeiro, pedi demissão. Eu sabia que o ambiente estressante estava piorando minha colite ulcerosa, então dei ao meu corpo uma pausa muito necessária. Retomei o controle da minha vida e abri minha própria agência de marketing.

Em algum momento, deparei-me com tratamentos alternativos e tive uma ideia: usar a comida como remédio. Ajustei minha dieta e cortei todos os laticínios, trigo, açúcar, soja e alimentos processados. Milagrosamente, meus sintomas desapareceram depois de apenas algumas semanas. Eu não pude acreditar. Eu tinha passado muito tempo com dor devido a medicamentos que não faziam nada pelo meu corpo, mas uma abordagem holística resolveu meus problemas rapidamente.

Meu amor recém-descoberto pela medicina alternativa e minha experiência de marketing me levaram a uma conclusão: eu precisava começar um negócio combinando essas duas habilidades.

Forbes: Qual foi o momento de virada na sua carreira?

KT: Ao ver uma transformação significativa se desenrolando dentro de mim, eu sabia que nunca poderia voltar ao mesmo estilo de vida de trabalhar longas horas e me submeter ao estresse constante.

Primeiro, tornei-me uma profissional de saúde certificada e comecei um negócio de coaching para outras pessoas que também sofriam da mesma condição que eu. Concentrei-me em ajudá-las a reconhecer e tratar seus males. Eu não queria que outros passassem pelo que eu passei. Eu sabia que o tratamento precoce poderia prevenir anos de constante agonia e dor.

Passei muitos anos transformando minha prática de coaching em um negócio milionário de sucesso. Em um certo momento, coaches e profissionais de saúde começaram a me pedir conselhos. Foi quando decidi fundir minhas duas especialidades para resolver o problema exato que aqueles profissionais estavam enfrentando.

Então criei a Health and Wellness Business School (Escola de Negócios de Saúde e Bem Estar, em tradução livre). Combinei minha experiência em marketing e empreendedorismo com minha paixão por bem estar para ajudar os profissionais holísticos a se promoverem e alcançarem mais clientes. Eu rapidamente percebi que isso ia além da paixão. Era o meu propósito de vida e tive que me dedicar a ele.

Forbes: Qual foi sua maior lição como empresária?

KT: Percebi que minha jornada pela saúde me levou exatamente onde eu precisava estar. Meu único desejo era ter prestado atenção antes. Ignorei minha intuição e os sinais do meu corpo. Em vez disso, permiti que o mundo exterior me dissesse quem eu era e o que fazer, a ponto de me deixar fisicamente mais doente.

O momento decisivo em minha vida foi quando percebi que os sintomas que meu corpo estava me enviando me mostravam as lições exatas de que eu precisava para construir uma empresa e ajudar os outros a se transformarem.

A lição mais importante é prestar atenção ao seu corpo quando tiver sintomas. Pergunte a si mesmo o que realmente está acontecendo e o que pode estar causando o desequilíbrio no bem estar. Quanto mais cedo você puder se dar conta disso, mais cedo perceberá que sua condição não é um acaso e poderá fazer algo a respeito.

Minha colite ulcerosa foi uma das experiências mais dolorosas que já vivi, mas é o que me trouxe onde estou hoje. Lidar com essa doença me obrigou a mudar meu estilo de vida, por isso priorizo ​​minha saúde acima de tudo, até hoje.

Forbes: Que conselho você daria a outros empresários que buscam criar um negócio solidário, como o seu?

KT: Meu conselho se resume a três pontos principais. O primeiro é aprender com os momentos difíceis. Demorei anos, mas finalmente entendi o que era a minha colite ulcerosa: uma oportunidade de ajudar outras pessoas a encontrarem seus caminhos para a cura. Eu não estaria onde estou hoje sem essa lição. Eu vi que isso não estava acontecendo comigo, estava acontecendo “para” mim. O mesmo vale para você com qualquer problema que esteja enfrentando.

Como você pode pegar uma situação difícil e transformá-la em algo atraente e impactante? Talvez você acabe criando um blog, escrevendo um livro ou fundando um negócio. Essas situações estressantes geralmente dão origem às melhores ideias.

Meu segundo conselho é: você precisa trabalhar pesado. Nenhum negócio consegue sucesso da noite para o dia, não importa o quão brilhante sua marca possa parecer. Todo negócio de sucesso exige determinação, trabalho árduo e paixão, mesmo quando o cenário é desafiador.

Um hábito que implementei desde meu primeiro negócio foi criar uma visão do que eu adoraria que se tornasse realidade nos meus negócios e na minha vida como se isso já estivesse acontecendo. Como eu já sabia como era, ficou muito mais fácil juntar as peças e ver tudo se encaixar. Por isso, crie uma visão do que você deseja e seja claro sobre seus objetivos.

E também: Tecnisa recebe proposta de combinação de negócios com Gafisa

E, finalmente, não tenha medo de compartilhar e se responsabilizar por sua história.
Mesmo que não seja a história mais charmosa, as pessoas precisam ouvir o que você tem a dizer. A minha jornada com a colite ulcerosa estava longe de ser bonita, mas decidi que era importante demais para não contar. Você sabe o que aconteceu a seguir? Muitos dos meus clientes trabalharam comigo porque foram atraídos por essa história! Não era porque eu conhecia bem a saúde intestinal, era porque eu tinha passado pelo que eles estavam passando.

O que você aprendeu e vivenciou em sua jornada é incrivelmente valioso e as pessoas escolherão trabalhar com você e investir em você por causa disso. Não esconda sua história.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).