6 exercícios para prevenir a tendinite em tempos de home office

Considerada uma das 20 causas mais recorrentes de afastamento do trabalho, o problema acomete uma a cada 100 pessoas, segundo a OMS.

Maria Laura Saraiva
Compartilhe esta publicação:
krisanapongdetraphiphat/GettyImages
krisanapongdetraphiphat/GettyImages

Os casos de tendinite chegaram a aumentar até 40% no último ano, segundo o departamento de ortopedia do Casa de Saúde São José

Acessibilidade


Ela começa com um incômodo, evolui para uma dor forte e logo se instala, impossibilitando qualquer movimento. A tendinite, um tipo de inflamação nos tendões que pode atingir punho, cotovelo, ombros e coluna, já é considerada hoje pelo INSS como uma das 20 causas mais recorrentes de afastamento do trabalho. Em tempos de home office, o problema chegou a aumentar até 40%, segundo o departamento de ortopedia da Casa de Saúde São José, no Rio de Janeiro. 

A doença, assim como outras que fazem parte do grupo das LER  – lesões por esforço repetitivo -, acomete uma a cada 100 pessoas, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde). Suas causas, entretanto, podem ser as mais variadas. Apesar de grande parte dos casos se desenvolver a partir de um trauma, agudo ou crônico, alguns quadros podem ter origem em infecções sistêmicas, como explica a Dra. Sandra Hiroko Watanabe, membro da diretoria executiva da SPR (Sociedade Paulista de Reumatologia). “Indivíduos sedentários, com condicionamento físico ruim, fraqueza e/ou encurtamento muscular também podem estar mais predispostos. Por outro lado, a prática de atividade física sem orientação adequada também pode levar ao problema, afirma. 

LEIA MAIS: 10 mandamentos do feng shui para um home office mais produtivo

Quando ligada ao trabalho, a tendinite pode estar relacionada a dois importantes fatores: a execução de movimentos mecânicos ininterruptos e um ambiente com condições ergonômicas inadequadas. A presidente da AFB (Associação de Fisioterapeutas do Brasil), Dra. Denise Flavio, explica que escritórios mal adaptados podem contribuir para o surgimento de lesões e ainda agravar aquelas pré-existentes. Da mesma forma, a especialista diz que a falta de informação dos empregadores pode desestimular os funcionários a realizar pequenas pausas e exercícios durante o expediente. 

“Com o advento do home office, estimulado durante a pandemia da Covid-19, é fundamental a utilização de mobiliário correto e de acessórios adequados. Uma boa cadeira não é uma despesa ou um gasto fútil, mas um grande investimento na saúde”, afirma Sandra.  Outras dicas para quem vê o incômodo aumentar são os exercícios e os protetores de articulações, como afirma a Dra. Anamaria Jones, professora de reumatologia da Unifesp. “Para quem trabalha no computador, é importante usar os apoios de punho, por exemplo. Eles evitam que essa região fique estendida por muito tempo enquanto a pessoa utiliza o teclado e o mouse. Já pensando na prevenção, devemos fazer exercícios  que mantenham os músculos fortes e flexíveis, para que assim eles possam exercer todas as atividades do dia a dia”, diz. 

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Na presença dos primeiros sintomas, entretanto, as especialistas indicam que  o paciente procure a assistência médica adequada, descartando também diagnósticos como artrite reumatoide e espondiloartrites. Quando mais rápido o caso for tratado, alertam, menor a chance de um quadro de lesões irreversíveis. 

Veja, na galeria abaixo, as dicas de exercícios da Dra. Anamaria Jones para prevenir a tendinite na região das mãos e dos punhos:

  • Apoie a mão na mesa, com a palma para cima, dobre a ponta dos dedos e, em seguida, traga-os até a palma da mão e volte a esticá-los. Faça 10 repetições, descanse e repita três vezes.

    krisanapongdetraphiphat/GettyImages
  • Apoie o antebraço numa mesa, deixando a mão e o punho para fora. Leve a mão para baixo segurando-a com a outra. Você vai sentir um leve alongamento na região de cima do antebraço. Mantenha a posição por 30 segundos, descanse e repita três vezes.

    manusaponkasosod/GettyImages
  • Apoie o antebraço numa mesa, deixando a mão e o punho para fora. Dessa vez, leve a mão para cima, tracionando pela palma da outra mão. Mantenha a posição por 30 segundos, descanse e repita três vezes.

    manusaponkasosod/GettyImages
  • Apoie o antebraço numa mesa, deixando a mão e o punho para fora. Faça movimentos circulares com o punho, cinco repetições para a direita e cinco para a esquerda. Descanse e repita três vezes.

    manusaponkasosod/GettyImages
  • Apoie o cotovelo na mesa e junte a ponta dos dedos. Passe um elástico pelos dedos, o mais próximo da ponta possível. Abra e feche os dedos devagar, como se fosse o desabrochar de uma flor. Faça 10 repetições, descanse e repita três vezes.

    manusaponkasosod/GettyImages
  • Apoie as mãos na mesa e coloque um elástico envolvendo todos os dedos, bem perto da ponta do polegar. Abra e feche o polegar devagar. Faça 10 repetições, descanse e repita três vezes.

    manusaponkasosod/GettyImages

Apoie a mão na mesa, com a palma para cima, dobre a ponta dos dedos e, em seguida, traga-os até a palma da mão e volte a esticá-los. Faça 10 repetições, descanse e repita três vezes.


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: