Privatização da Petrobras não está na mesa, diz Guedes

O novo presidente da empresa, Adriano Pires, já defendeu a privatização da Petrobras, mas Guedes diz que isso não é um fator importante.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Reuters
Reuters

Paulo Guedes atende agenda de privatizações, mas com relação à Petrobras ele vai contra o presidente Jair Bolsonaro

Acessibilidade


O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse hoje (29) que a privatização da Petrobras não está na agenda, depois de o governo ter anunciado a indicação do consultor Adriano Pires para a presidência da estatal.

Pires é defensor histórico da paridade de preços da Petrobras em relação às cotações internacionais, e já defendeu a privatização da companhia.

Falando a jornalistas durante visita a Paris, Guedes relacionou planos de privatização do governo, mas quando questionado sobre a Petrobras em uma coletiva de imprensa ele disse: “não está na mesa”.

Segundo Guedes, a mudança da presidência da Petrobras não é um fator importante.

O ministro conversou com a imprensa na embaixada do Brasil em Paris, onde cumpre agenda de reuniões com empresários e representantes da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O governo federal indicou nesta segunda-feira Pires para a presidência-executiva da Petrobras no lugar do general da reserva Joaquim Silva e Luna, após críticas do presidente Jair Bolsonaro sobre alta nos preços de combustíveis.

Leia mais: Eneva, PetroReconcavo e 3R Petroleum fazem oferta por campos da Petrobras

Leia mais: Cade estende prazos para que a Petrobras venda refinarias

Compartilhe esta publicação: