Facebook começa a remover recomendações para grupos políticos e sociais

Reprodução/Reuters
Reprodução/Reuters


A rede social vai restringir o logaritmo de grupos que violam as regras e que tenham conteúdo suspeito

O Facebook disse hoje (17) que vai começar a remover recomendações de grupos de questões políticas e sociais. A ação tem como objetivo diminuir a tensão da rede social.

A empresa também anunciou mudanças para reduzir o alcance de grupos que violam regras do site, incluindo divulgá-los com algoritmos mais baixos e fazer um alerta aos usuários quando eles se juntarem a uma dessas páginas.

LEIA MAIS: Facebook bloqueia feeds de notícias e gera revolta na Austrália

Pesquisadores e organizações de direitos civis alertam há tempos que esse produto do Facebook, promovido vigorosamente para encontros de pessoas com interesses comuns, como esportes ou música, também têm sido usados ​​para espalhar desinformação e organizar atividades extremistas.

Em uma entrevista feita ontem (16)), Tom Alison, vice-presidente de engenharia do Facebook, disse que a empresa está investindo em grupos e que as mudanças nas recomendações se devem aos usuários que querem ver menos conteúdo político. “Eles querem que baixemos um pouco a temperatura”, disse.

Alison disse que os grupos recém-criados sobre qualquer tópico terão que esperar 21 dias antes de se tornarem elegíveis para recomendação, dando tempo para a rede social entender sua proposta de funcionamento.

VEJA TAMBÉM: Facebook remove temporariamente grupo que debatia sobre ações da GameStop

Desde 2017, o Facebook tornou os grupos uma prioridade. No ano passado, a empresa intensificou a promoção desses nichos em feeds de notícias e resultados de pesquisas. Durante a pandemia do coronavírus, entretanto, a rede parou de recomendar as páginas de saúde, dizendo que os internautas precisam de fontes confiáveis ​​de informação. A rede também reprimiu conteúdos relacionados a “movimentos sociais militarizados”.

Nos meses que antecederam a eleição nos EUA e o ataque ao Capitólio em 6 de janeiro, os grupos do Facebook fervilharam de desinformação e retórica violenta. A empresa disse que exigirá que os moderadores aprovem temporariamente as postagens quando constar um número substancial de membros que violaram regras da rede nos últimos tempos.

O Facebook disse também que mostrará menos o conteúdo desse tipo de página nos feeds de notícias dos usuários e interromperá temporariamente aqueles que não seguirem as novas normas. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).