Ibovespa fecha em alta e recupera 107 mil pontos

Nacho Doce/Reuters
O Ibovespa subiu 1,54%, a 107.496,73 pontos

O Ibovespa fechou em alta hoje (21), após duas quedas seguidas, recuperando o patamar dos 107 mil pontos perdido na semana passada, com Petrobras entre os principais suportes ao ser beneficiada pela alta dos preços do petróleo para máximas em dois meses.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 1,54%, a 107.496,73 pontos, encerrando o dia na máxima da sessão. O volume financeiro alcançou R$ 19,5 bilhões.

LEIA MAIS: Ibovespa fecha em queda sem catalisadores antes de feriado

A volta do feriado do Dia da Consciência Negra foi marcada também pela repercussão de vários relatórios de bancos estrangeiros com tom positivo para o mercado acionário brasileiro, entre eles o JPMorgan, que vê o Ibovespa em 126 mil pontos no final de 2020 em seu cenário base.

Para a estrategista Emy Shayo, do banco norte-americano, a recomendação ‘overweight’ para as ações brasileiras em seu portfólio de America Latina encontra respaldo na implementação de reformas estruturais, que abre caminho para um PIB maior, ao mesmo tempo em que juros baixos permitem uma rotação na alocação de ativos de renda fixa para ações, conforme relatório.

O Credit Suisse reiterou ‘overweight’ para o Brasil em carteira global, destacando que o país tem a melhor combinação de grande hiato do produto com forte ‘momentum’ econômico de qualquer região e é a única região importante onde o crescimento está sendo revisado para cima e a inflação, para baixo.

O Morgan Stanley também manteve sua avaliação ‘overweight’ para o país em seu portfólio para América Latina, com o estrategista Guilherme Paiva e equipe estimando o Ibovespa em 125 mil pontos para o final do próximo ano.

Eles avaliam que uma série de fatores apontam para a aceleração da atividade doméstica em 2020 e 2021, o que deve dar suporte aos lucros das empresas e preços de ações; bem como perspectivas de reformas estruturais devem ajudar a aumentar a confiança dos empresários e dos consumidores.

VEJA TAMBÉM: Ibovespa fecha em queda com dúvidas sobre negociações China-EUA

O chefe de renda variável da Vero Investimentos, Fábio Galdino, destacou que esse tipo de material tem um efeito benigno na confiança dos investidores, mas ressaltou também que o noticiário recente de Brasília também repercutiu positivamente.

Ele destacou a decisão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, na véspera, de aprovar a admissibilidade de uma proposta que permite a prisão após condenação em segunda instância, explicando que decisão recente do STF de derrubar tal possibilidade gerou receio de insegurança jurídica no país.

O Ibovespa descolou de Wall Street, onde o S&P 500 fechou em baixa de 0,16%, mais uma vez afetado pelo noticiário conflitante sobre as negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China, que tem adicionado preocupações sobre as chances de um acordo até o final deste ano.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).