Fortuna de Bernard Arnault sobe quase US$ 3 bilhões desde a compra da Tiffany

Reprodução Forbes
Bernard Arnault, proprietário do conglomerado de luxo LVMH

Apenas um dia depois que o grupo francês de luxo LVMH, de Bernard Arnault, fechou o acordo para a compra da joalheria norte-americana Tiffany & Co., a fortuna do bilionário aumentou 2,8%, ou US$ 2,85 bilhões.

Após um breve período como a segunda pessoa mais rica do mundo ontem (26), Arnault terminou o dia em 3º lugar, com um patrimônio de US$ 107,4 bilhões, de acordo com o ranking dos bilionários em tempo real da FORBES.

LEIA MAIS: LVMH fecha compra da Tiffany por US$ 16,2 bi

As ações da LVMH abriram em alta de 1% na segunda-feira (25), depois do anúncio da conclusão da operação, e continuaram a subir no dia seguinte. Esse movimento colocou o patrimônio líquido de Arnault na frente do de Bill Gates em vários momentos ontem, permitindo que ele se tornasse por um breve período a segunda pessoa mais rica do mundo.

No entanto, a partir das 16 horas, Gates voltou à vice-liderança, com um patrimônio líquido de US$ 107,5 bilhões, apenas US$ 100 milhões a mais do que os US$ 107,4 bilhões de Arnault.

Esta é a segunda vez em novembro que Bernard Arnault toma o 2º lugar de Bill Gates. Os dois ainda estão atrás de Jeff Bezos, cujo patrimônio líquido atual de US$ 111,7 bilhões o torna a pessoa mais rica do mundo.

Arnault começou na empresa de construção da família, a Roubaix, na década de 1970. Ele lançou seu império de luxo em 1984 com a aquisição da Boussac, uma empresa francesa de fraldas descartáveis e têxtil que incluía a moribunda casa de moda Christian Dior. Seis anos depois, assumiu o controle da Louis Vuitton Moët Hennessy.

VEJA TAMBÉM: Dono da Louis Vuitton e terceiro mais rico do mundo: conheça Bernard Arnault

A aquisição de US$ 16,2 bilhões da Tiffany é a maior do conglomerado até o momento. A LVMH pagará US$ 135 por ação em dinheiro – quase US$ 2 bilhões a mais do que a oferta inicial feita em outubro. A Tiffany se juntará às mais de 70 marcas de luxo da LVMH, incluindo Fendi, Bulgari, Dom Pérignon e Givenchy.

“Temos um imenso respeito e admiração pela Tiffany e pretendemos desenvolver esta joia com a mesma dedicação e comprometimento que aplicamos a cada uma de nossas maisons”, disse Arnault em comunicado emitido na segunda-feira. “Teremos orgulho de ter a Tiffany ao lado de nossas marcas icônicas e esperamos garantir que ela continue prosperando nos próximos séculos.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).