Pais de primeira viagem criam linha de produtos biodegradáveis para bebês

Divulgação Miniware
Divulgação Miniware

O nascimento do filho despertou o espirito empreendedor em Adam Bonnier e Ai Su Bonnier, criadores da Miniware

Quando viraram pais, Adam Bonnier e Ai Su Bonnier ficaram surpresos com a dificuldade de encontrar louças ecologicamente corretas para bebês, problema que levou à fundação da Miniware. Em um mercado lotado de copos com canudinho de plástico e jogos americanos de uso único, a empresa é única. Os produtos são feitos de materiais sustentáveis ​​à base de plantas e poderiam muito bem estar em uma moderna cozinha de fazenda. Hoje, os itens são vendidos em mais de 20 países e vão muito além de tigelas e pratos.

“Foi chocante ver a enorme quantidade de produtos com vida útil muito pequena e o infinito lixo descartável na indústria de bebês”, disse Ai Su Bonnier. “Havia muitos problemas a serem resolvidos, mas já estávamos estudando certos materiais e métodos de produção para criar utensílios de mesa ecologicamente sustentáveis. Produtos ecológicos e funcionais para bebês que pudessem ser usados no processo de auto-alimentação não estavam disponíveis quando nosso filho completou seis meses. Nós realmente gostamos de todo o processo de preparar comida e manter uma conversa significativa durante as refeições, e não queríamos mudar essa importante tradição familiar após o nascimento dele”, conta.

LEIA MAIS: Dia Internacional da Mulher: 7 empresas que estão virando o jogo da equidade de gênero

Os Bonniers começaram a prestar mais atenção aos utensílios de mesa que existiam e ficaram frustrados ao descobrir que a maioria deles era feita com plástico de petróleo e cores primárias.

“Por causa dessa decepção, decidimos aplicar nosso conhecimento em design e materiais sustentáveis ​​na indústria infantil e fundamos a Miniware no final de 2015”, diz Ai Su Bonnier. “Apesar de o custo dos materiais e o longo processo de fabricação nos colocarem em um mercado menor e mais premium, recebemos atenção imediata de pais da geração X que tinham as mesmas frustrações e desejos por produtos modernos, funcionais, sustentáveis ​​e não tóxicos para bebês. Lançamos nosso produto oficialmente em 2016 e a ​​Miniware agora é vendida em mais de 20 países.”

Com a experiência obtida ao trabalhar com biotecnologia, a dupla financiou seu próprio lançamento. E então começou a aprender mais sobre materiais naturais com maior durabilidade.

“Iniciamos nossa pesquisa em Taiwan. Não apenas por ser a cidade natal de Ai, mas porque era um reflexo em miniatura de toda a fabricação e tecnologia avançada do mundo”, conta Adam Bonnier. “Visitamos muitas fábricas que alegavam usar materiais naturais. Infelizmente, descobrimos que a maioria delas adicionava plásticos vindos do petróleo nesses ingredientes naturais. Isso tornava o material final mais forte, mas também menos puro, menos saudável e com menos capacidade de se decompor.”

O casal fez sua primeira produção em uma pequena fábrica que criava uma mistura pura de fibra de bambu e seiva de árvores, e alcançou seus objetivos usando recursos renováveis, não tóxicos e compostáveis. A crescente demanda fez com que a dupla fosse obrigada a encontrar um novo material à base de plantas, já que o fornecedor não conseguia atendê-la.

“A busca constante por melhores materiais ecológicos também significa novos métodos de produção e novos moldes”, explica Ai Su Bonnier. “Recentemente, por exemplo, modificamos nossos produtos para um material avançado de PLA (ácido polilático) feito principalmente da planta da mandioca. Passei pelo menos um ano pesquisando fábricas certificadas, lendo as teses mais atualizadas das técnicas de produção e visitando o local de produção para garantir que todos os processos atendessem nosso baixo impacto ambiental e necessidades não tóxicas. Então tivemos que entender os pontos fortes e fracos desse material e ajustar nossos projetos.”

A Miniware cresceu exponencialmente desde o lançamento nos Estados Unidos e na Ásia, onde seus produtos são fabricados. “Tivemos uma visibilidade mais rápida em países menores, como Taiwan e Coreia do Sul, onde a conscientização sobre produtos sustentáveis é alta”, diz Ai Su Bonnier.

LEIA TAMBÉM: Marketplace de babás mostra como alcançar US$ 1 milhão sem ser startup de tecnologia

“Os produtos Miniware são muito modernos em sua estética e apresentam recursos exclusivos, atraentes em campanhas na web e mídias sociais. Rapidamente recebemos a atenção de mais lojas focadas em design, como a SF MOMA, para oferecer nossos produtos. Fomos bem recebidos em lojas premium e mais focadas em design no início, mas agora estamos começando a entrar em mercados maiores de alimentos saudáveis ​​e lojas online de bebês. Estamos constantemente aumentando nossos distribuidores internacionalmente e, só no último ano, conseguimos incrementar drasticamente nossa visibilidade no mercado premium de bebês.”

A Miniware possui apelo com os pais não apenas por causa dos materiais e do design, mas também pela maneira como visa promover a auto-alimentação das crianças.

“É preciso muita determinação para projetar uma série de produtos de alimentação sustentável que crescem e se adaptam às crianças”, diz Adam Bonnier. “Nós realmente tentamos criar um sistema significativo e funcional para a família moderna, em vez de um produto para bebês rápido e fofo, que deve ser usado por um curto período de tempo e fabricado de maneira barata.”

A dupla planeja continuar expandindo a coleção da Miniware e lançará novidades em silicone e tecido no curto prazo, o que ajudará a empresa a conquistar o mercado de roupas e acessórios.

E TAMBÉM: Presidente da CVC renuncia e será substituído por ex-Smiles

“Nosso objetivo, um pouco mais para frente, é construir uma comunidade Miniware por meio de aplicativo”, diz Ai Bonnier. “Ele vai servir para apresentar alguns dos nossos futuros produtos inteligentes para os pais. Não podemos adiantar muitos detalhes, mas nosso objetivo é construir uma comunidade com foco na vida ecológica, moderna e inteligente. Vamos nos concentrar em questões específicas que são cada vez mais importantes para as gerações Y e Z, como novas soluções para alergias, divisão igualitária de tarefas entre pai e mãe, serviços de assinatura etc. O foco principal sempre estará na melhoria do sono, aprendizado, alimentação e necessidades fisiológicas dos bebês.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).