Bilionário David Rubenstein compartilha lições de liderança de Jeff Bezos, Bill Gates, Oprah em livro

The Washington Post/Getty Images
The Washington Post/Getty Images

Rubenstein tem um patrimônio avaliado em US$ 3,2 bilhões

As empresas de Wall Street adoram contratar CEOs renomados, ex-presidentes, generais aposentados e treinadores famosos para dar palestras inspiradoras para a alta administração e funcionários comuns. Como filantropo e cofundador do The Carlyle Group –uma das maiores empresas de capital privado do mundo com US$ 221 bilhões em ativos sob gestão–, David Rubenstein participou de parte desses eventos apenas para descobrir que alguns dos palestrantes “não são os que mais brilham.”

“Eu meio que tive a ideia que talvez eu pudesse tornar o evento um pouco mais animado se os entrevistassem. Só pensei que poderia adicionar um pouco de humor”, Rubenstein conta à Forbes sobre a inspiração para seu último livro “How To Lead: Wisdom from World’s Greatest CEOs, Founders, and Game Changers” (“Como liderar: sabedoria dos maiores CEOs, fundadores e cambistas do mundo”, em tradução livre e sem lançamento em português).

LEIA MAIS: Por que Marc Benioff diz que as habilidades de comunicação são as mais importantes para um empresário

Com base em dezenas de entrevistas que conduziu com executivos, políticos, líderes de pensamento e pioneiros da indústria nos últimos cinco anos, Rubenstein deseja que os leitores vejam todo o espectro ativo e passivo dos líderes, incluindo Bill Gates, Jeff Bezos, Tim Cook, os ex-presidentes norte-americanos Bill Clinton e George W. Bush, a juíza Ruth Bader Ginsberg e Oprah, que inspirou Rubenstein a ser um ouvinte melhor. “Esperançosamente, você terá uma liderança melhor em tudo isso”, diz ele, com o objetivo de inspirar as gerações mais jovens a serem líderes.

“Qual será um dos legados que posso deixar para as pessoas e meus filhos? Talvez eu possa ter alguns livros”, diz o bilionário que publicou sua primeira coletânea de entrevistas, “The American Story” (“A história americana”, em tradução livre e sem lançamento em português), no ano passado. Leitor insaciável que lê “seis jornais por dia, pelo menos uma dúzia de periódicos semanais e pelo menos um livro por semana”, Rubenstein acredita que uma vida inteira de curiosidade é essencial para um bom líder.

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

David Rubenstein e Oprah

Para aqueles que desejam alcançar o topo rapidamente, não há atalho para se tornar um líder, diz Rubenstein. Refletindo sobre sua entrevista de 2017 com o cofundador da Nike, Phil Knight, ele escreve que a visão original de Knight de abrir uma empresa de calçados esportivos não foi o único fator de seu sucesso. Também era a disposição do cofundador “trabalhar muitas horas –e sofrer as falhas e crises ocasionais– para tornar essa visão uma realidade e, nos últimos anos, entregar a operação a gerentes experientes que pudessem desenvolver ainda mais a empresa.”

Além das entrevistas, Rubenstein também lista 12 pilares para ser um bom líder: sorte, desejo de sucesso, busca de exclusividade, trabalho árduo, foco, persistência, persuasão, humildade, compartilhamento de crédito, capacidade de manter o aprendizado, integridade e falha. Rubenstein, que tem um patrimônio avaliado em US$ 3,2 bilhões, admite que seu maior erro comercial foi vender o investimento de US$ 80 milhões da Carlyle na Amazon logo após seu IPO em 1996. Ele diz que essa participação valeria, atualmente, cerca de US$ 4 bilhões.

Finanças à parte, 2020 foi um ano devastador àqueles que se espelharam em líderes –na política, negócios, esportes e entretenimento– em busca de clareza e esperança. Rubenstein acredita que os que entendem de humildade e se mostram à altura serão os lembrados por suas ações, como o falecido congressista e líder dos direitos civis John Lewis, e o Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas.

“Tony Fauci está sozinho”, diz Rubenstein. “Ele foi golpeado por diversas pessoas e algumas o criticam por vários motivos, mas ele permaneceu e lutou pelo que acredita serem princípios muito bons.”

VEJA TAMBÉM: Bilionários sem diploma: conheça 15 nomes da lista Forbes que não possuem ensino superior

Outro líder que teve de se apresentar em 2020 e foi entrevistado por Rubenstein no ano passado é o comissário da NBA, Adam Silver. “Quem não ficaria chateado quando as pessoas são atingidas pelas costas ou mortas sem motivo aparente?” Rubenstein comenta sobre o ataque em toda a liga após o alvejamento de Jacob Blake em Kenosha, Wisconsin. “Acho que o mundo reconheceu que não se pode ignorar os protestos dos jogadores só porque são atletas. Agora, todos percebem que é provavelmente um erro fazer o que a NFL fez em termos de não deixar Colin Kaepernick voltar a jogar.”

Um nome que não fez parte da nova coleção de Rubenstein é Donald Trump. “Entrevistei o presidente Trump antes de ele ser presidente do Economic Club of Washington, e foi aí que ele me disse que se candidataria à presidência”, disse Rubenstein, que achou a entrevista datada demais para ser incluída no livro. “Eu estava surpreso. Eu realmente não acreditei que ele faria isso nem achei que ele fosse conseguir. E ele fez.”

Mark Wilson/Getty Images
Mark Wilson/Getty Images

Donald Trump e David Rubenstein

Ao contrário de Trump, Rubenstein não se imagina na arena política tão cedo. “Ainda sou um jovem pelos padrões dos candidatos à presidência, então talvez eu seja um pouco jovem demais para concorrer agora”, disse o investidor de 71 anos, em comparação a Trump, com 74 anos, e Biden, aos 77 anos. “Mas, falando sério, acho que há muitas pessoas que provavelmente são mais jovens e fariam um trabalho melhor.” Esperançoso com o futuro próximo, ele diz que o país terá um novo começo em 2021 após uma vacina contra a Covid-19 e as eleições.

Relembrando uma conversa recente que teve com o jurado do programa “Shark Tank”, o bilionário Mark Cuban, Rubenstein diz que espera que as pessoas criem grandes empresas após a Covid-19, priorizando diversidade e inclusão, filantropia e impacto social, bem como lucros. “Se você está pensando em fazer algo empreendedor”, diz Rubenstein, “faça isso mais cedo ou mais tarde”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]r).