Ibovespa cai abaixo dos 110 mil após pregão fraco para commodities

A Vale (VALE3) foi derrubada pela queda do minério de ferro na China, onde há risco de novo lockdown pela Covid-19.

Amanda Péchy
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa fechou hoje (14) em baixa de 1,60%, a 109.927 pontos, revertendo a abertura no azul em meio a negociações diplomáticas entre Rússia e Ucrânia. O índice foi puxado pelas ações da Vale (VALE3) e outras empresas do setor de commodities.

As mineradoras e siderúrgicas reagiram à forte queda do minério de ferro no mercado internacional, com uma nova onda de Covid-19 na China e a perspectiva de novos lockdowns no país asiático.

Acompanhe em primeira mão os conteúdos do Forbes Money no Telegram

O contrato de minério de ferro mais negociado na bolsa de Dalian caiu 7%, para 759,50 iuanes (R$ 32,98) por tonelada. Negociações do níquel seguem paralisadas na Bolsa de Londres, e preços dos metais industriais recuaram.

A CSN Mineração (CMIN3) foi uma das líderes das quedas do pregão, com baixa de 6,21%. A CSN (CSNA3) acompanha, com queda de 5,83%, e os papéis da Vale (VALE3) se desvalorizaram 5,36%.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

As manchetes positivas em torno da negociação entre Moscou e Kiev para pôr fim ao conflito na Ucrânia também diminuíram temores internacionais de restrição da oferta de commodities.

Seguindo esse movimento, o petróleo Brent fechou em queda de 6,67%, a US$ 102,04, pressionando as ações das petroleiras. A PetroRio (PRIO3) teve baixa de 5,42% e os papéis da Petrobras recuaram 1,26% (PETR3) e 1,91% (PETR4).

Do outro lado do índice, o setor bancário se beneficiou das expectativas em torno da “Super Quarta”, quando os bancos centrais do Brasil e dos Estados Unidos devem anunciar uma nova alta dos juros para controlar a inflação.

Segundo o consenso médio de mercado, o Copom deve elevar a Selic de 10,75% para 12,00%. O Federal Reserve, por sua vez, deve elevar a taxa de juros em 0,25%.

No pregão de hoje, o Banco Santander (SANB11) fechou em alta de 4,36% e o Itaú avança 0,85% (ITUB3) e 1,41% (ITUB4).

“Em meio à busca por segurança, temos os países elevando os juros, o que auxilia na migração de capital dos mercados emergentes para as economias mais seguras, com um prêmio de risco mínimo”, afirma Idean Alves, sócio e chefe da mesa de operações da Ação Brasil Investimentos.

O dólar fechou em alta de 1,30%, a R$ 5,1195. Para Alves, a moeda norte-americana se valorizou também devido à aversão global a risco, motivada pela possibilidade de novas sanções da União Europeia ao petróleo russo.

No exterior, o índice do dólar contra uma cesta de seis rivais fortes tinha queda de 0,3% no dia, mas a moeda também avançava 0,75% contra o dólar australiano – divisa que, assim como o real, é sensível aos preços das commodities e ao apetite global por risco.

Compartilhe esta publicação: