SP espera para esta semana aval da Anvisa para testar vacina chinesa, diz Doria

Amanda Perobelli/Reuters
Instituto Butantan cadastrou 9 mil voluntários para testar a vacina chinesa

O governo do Estado de São Paulo espera para esta semana a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que o Instituto Butantan inicie os testes clínicos com uma potencial vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac, disse hoje (29) o governador João Doria (PSDB).

Segundo ele, o Butantan já cadastrou os 9 mil voluntários que participarão do estudo e aguarda apenas o aval da agência reguladora para iniciar os testes.

VEJA TAMBÉM: Candidata a vacina da AstraZeneca é a mais avançada contra Covid-19, diz OMS

“Estamos aguardando para esta semana a aprovação final da Anvisa para que o Instituto Butantan inicie os testes clínicos, a terceira fase, da CoronaVac, da vacina do Instituto Butantan com a Sinovac, o laboratório chinês com o qual temos acordo. São 9 mil voluntários já cadastrados e nós estamos apenas aguardando a autorização da Anvisa”, disse Doria em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

“Tenho certeza que a Anvisa o fará esta semana”, acrescentou o governador.

No dia 11 de junho Doria anunciou a parceria do Butantan com a Sinovac que pode levar, caso a vacina chinesa se mostre eficaz contra a Covid-19, à produção local pelo Butantan.

No sábado, o Ministério da Saúde anunciou uma parceria para produção local da potencial vacina contra a doença respiratória causada pelo coronavírus desenvolvida pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, em parceria com a farmacêutica AstraZeneca.

Essa vacina é apontada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a que está em estágio mais avançado. Ela já está sendo testada no Brasil em estudo liderado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Doria parabenizou o governo federal pelo acordo anunciado no fim de semana e afirmou que não existe uma disputa sobre qual vacina se provará eficaz primeiro.

E AINDA: Brasil assina acordo para produzir vacina experimental contra Covid-19

“Quanto mais vacinas testadas e aprovadas, melhor. Teremos maior produção, maior capacidade de atendimento à população brasileira e com mais velocidade. Nós não estamos em uma competição para ver quem faz primeiro a vacina, nós estamos em uma competição pela vida”, disse.

Na entrevista, o governador também disse que, a partir de quarta-feira, estabelecimentos comerciais que permitirem a presença de pessoas sem máscaras de proteção serão multados, assim como pessoas que estiverem em espaços públicos sem o equipamento de proteção individual.

“Estabelecimentos comerciais de qualquer tamanho que a partir do dia 1º de julho no Estado de São Paulo que forem flagrados pela vigilância sanitária com a presença de pessoas sem a utilização de máscaras serão multados em R$ 5 mil por pessoas e por vez”, disse Doria.

“Também, o governo do Estado de São Paulo, com o apoio das prefeituras municipais, estabelece uma multa para pessoas físicas flagradas sem máscaras em espaços públicos. A multa é de R$ 500”, afirmou.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, São Paulo tem 275.145 casos confirmados de Covid-19, com 14.398 mortos pela doença. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo: .

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).