Saiba quais são os jatinhos e helicópteros dos bilionários russos sancionados

Jato particular de Alisher Usmanov e helicópteros de Roman Abramovich estão entre aeronaves de bilionários russos com registro cancelado.

Giacomo Tognini
Compartilhe esta publicação:
Forbes

As aeronaves de bilionários russos estão registradas em jurisdições offshore como a Ilha de Man e as Bermudas, que estão tentando dificultar o voo dos oligarcas.

Acessibilidade


Mais de três semanas após a invasão da Ucrânia pela Rússia, os países ocidentais estão reforçando as sanções contra oligarcas e bilionários russos. A última salva veio na quarta-feira, quando a Ilha de Man, dependência da coroa britânica, anunciou que havia cancelado o registro de 18 aeronaves russas desde 3 de março. A Forbes descobriu que oito dessas aeronaves – incluindo o jato particular Airbus de US$ 350 milhões (cerca de R$ 1,7 bilhão, na cotação atual) de Alisher Usmanov e quatro helicópteros de Roman Abramovich – são de propriedade de bilionários russos sancionados.

Ao vasculhar registros de aeronaves e dados disponíveis publicamente, a Forbes identificou pelo menos 12 jatos e seis helicópteros ligados a oito bilionários russos sancionados. As aeronaves estão registradas em Aruba, Bermudas, Ilhas Cayman, Ilha de Man e Luxemburgo, todas as quais implementaram sanções da UE ou do Reino Unido. Ao todo, as 18 aeronaves valem pelo menos US$ 1,2 bilhão (R$ 6 bilhões). Porta-vozes dos registros de aeronaves e autoridades nas Bermudas, Luxemburgo e Ilha de Man disseram à Forbes que estão tomando medidas contra aeronaves pertencentes a indivíduos sancionados.

Em 12 de março, as Bermudas anunciaram que sua agência de aviação suspendeu os certificados de aeronavegabilidade para 740 “aeronaves operadas na Rússia”, o que significa que eles não podem mais voar. Pelo menos um bilionário sancionado, Viktor Rashnikov, tem um jato Gulfstream registrado nas Bermudas. Um porta-voz da Autoridade de Aviação Civil das Bermudas disse à Forbes que a autoridade “conduzirá uma investigação” para determinar se Rashnikov é o proprietário da aeronave.

Abramovich é o mais exposto às novas medidas, com dois jatos registrados em Aruba e outros dois em Luxemburgo, além dos quatro helicópteros cancelados na Ilha de Man. O ministro dos Transportes de Aruba, Ursell Arends, teria dito à mídia local que pelo menos 10 aeronaves registradas em Aruba pertencem a russos sancionados e o governo tomará medidas contra eles “se necessário”. A Forbes identificou seis dos 10, incluindo um jato Airbus A319 de propriedade de Viktor Vekselberg. Um porta-voz de Vekselberg se recusou a comentar, e representantes dos outros bilionários mencionados neste artigo não responderam imediatamente a um pedido de comentário.

Indivíduos com alto patrimônio líquido geralmente possuem aeronaves por meio de holdings offshore para mascarar sua propriedade. “Muitos proprietários usam entidades offshore e empresas de propósito específico para dificultar a localização do usuário “real” da aeronave”, disse Phil Seymour, presidente da empresa de dados de aviação IBA.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Outros bilionários russos sancionados tiveram jatos particulares no passado ou foram relatados como proprietários de jatos, mas a Forbes não conseguiu verificar se eles ainda os possuem. Oleg Deripaska, Gennady Timchenko, Boris Rotenberg e Suleiman Kerimov teriam vendido seus aviões depois de serem atingidos por sanções em 2014 e 2018.

O registro de aeronaves em jurisdições offshore, como a Ilha de Man, permite que bilionários economizem centenas de milhões de dólares em impostos alfandegários e de vendas ao voar, comprar ou vender seus jatos. Os sites para registros de aeronaves offshore divulgam abertamente uma variedade de benefícios, desde zero impostos de importação ou taxas de transferências de aeronaves em Aruba até nenhuma tributação nas Ilhas Cayman.

As medidas tomadas pelas autoridades da Ilha de Man e das Bermudas estão agora colocando esses benefícios fora da mesa. De acordo com Jonathan Epstein, sócio do escritório de advocacia Holland & Knight, com sede em Washington, DC, especializado em comércio internacional e aviação, uma aeronave que teve o registro cancelado se torna uma “aeronave apátrida”, o que significa que não tem mais um certificado de aeronavegabilidade válido. Sem isso, não pode ter um seguro e não pode voar, até que seja registrada em um novo país.

Isso significa que qualquer aeronave localizada em países que sancionaram a Rússia corre o risco de ser aterrada. Complicando ainda mais as coisas está o fato de que as sanções abrangentes impedem quaisquer seguradoras e bancos de financiar ou fornecer seguro para aeronaves pertencentes ou usadas por entidades russas.

Sete das 18 aeronaves rastreadas pela Forbes foram registradas pela última vez na França e na Letônia, que implementaram as sanções da UE à Rússia. Mas se elas não estiverem na UE ou no Reino Unido, a aeronave poderá se registrar novamente em outro lugar – inclusive na Rússia, onde quatro das aeronaves foram vistas pela última vez. “Se elas estiverem fisicamente na Rússia, pode ser que os russos as registrem novamente”, disse Epstein.

Outro destino provável para esses aviões: os Emirados Árabes Unidos. Pelo menos três das 18 aeronaves rastreadas pela Forbes foram vistas pela última vez nos Emirados Árabes Unidos, e várias mais recentemente viajaram de lá para Moscou. Ainda assim, mesmo que um avião esteja em Dubai, os proprietários podem ser atingidos por sanções secundárias dos EUA a empresas locais que auxiliam na movimentação ou reparo de seus jatos. “Se você tem um Gulfstream em Dubai, a exportação dessa aeronave para a Rússia é uma violação das leis de exportação dos EUA”, disse Epstein. “Também é uma violação de exportação para a instalação de reparo que os está ajudando a fazer isso.”

Outra razão pela qual o reparo de aviões agora será mais complicado: fabricantes como Airbus, Boeing, Bombardier e Embraer anunciaram que suspenderão negócios com empresas e indivíduos russos, tornando difícil – para não dizer impossível – para os proprietários russos substituir peças e manter seus aviões.

Aqui estão os jatos e helicópteros de propriedade de bilionários russos sancionados rastreados pela Forbes e suas localizações mais recentes:

Roman Abramovich

CRAIG MERCER/ACTIONPLUS/NEWSCOM

Sancionado por: Reino Unido, UE, Canadá, Austrália

Cidadania: Rússia, Israel, Portugal

Valor total estimado: US$ 545 milhões (R$ 2,7 bilhões)

JAMIE LORRIMAN/ALAMY
JAMIE LORRIMAN/ALAMY

Boeing 767 300

BOEING 767-300 (prefixo: P4-MES)

Registrado em: Aruba

Último local registrado: Saint-Louis, França, em 25 de fevereiro

BOEING 787-8 DREAMLINER (prefixo P4-BDL)

Registrado em: Aruba

Último local registrado: Dubai, Emirados Árabes Unidos em 4 de março

BOMBARDIER BD700 GLOBAL EXPRESS (prefixo LX-LUX)

Registrado em: Luxemburgo

Último local registrado: Riga, Letônia, em 27 de fevereiro

GULFSTREAM G650 (prefixo LX-RAY)

Registrado em: Luxemburgo

Último local registrado: Moscou, Rússia em 15 de março

HELICÓPTERO AIRBUS EC-145 (prefixo M-SOLO)

Registrado em: Ilha de Man (Cancelado em 11 de março)

Último local registrado: Cannes, França, em 25 de fevereiro

Associado ao iate Solaris de Abramovich

HELICÓPTERO AIRBUS EC-145 (prefixo M-SOLA)

Registrado em: Ilha de Man (Cancelado em 11 de março)

Último local registrado: Basseterre, St. Kitts e Nevis em 28 de fevereiro

Associado ao iate Solaris de Abramovich

HELICÓPTERO AIRBUS EC-145 (prefixo M-LUNA)

Registrado em: Ilha de Man (Cancelado em 11 de março)

Último local registrado: Cannes, França, em 3 de fevereiro

HELICÓPTERO EUROCOPTER EC-155 (prefixo M-HELI)

Registrado em: Ilha de Man (Cancelado em 11 de março)

Último local registrado: Cannes, França, em 4 de março

Getty Images
Getty Images

Montagem com modelos iguais aos aviões de Abramovich

Mikhail Gutseriev

Sancionado por: UE, Reino Unido, Suíça

Cidadania: Rússia

Valor total estimado: US$ 60 milhões (R$ 302 milhões)

EMBRAER ERJ-135 (prefixo P4-MSG)

Registrado em: Aruba

Último local registrado: Moscou, Rússia em 14 de março

BOMBARDIER BD700 GLOBAL EXPRESS (prefixo P4-GMS)

Registrado em: Aruba

Último local registrado: Moscou, Rússia em 26 de fevereiro

Alexey Mordashov

Simon Dawson/Bloomberg

Sancionado por: UE, Reino Unido, Suíça, Austrália

Cidadania: Rússia

Valor total estimado: US$ 20 milhões (R$ 100,8 milhões)

BOMBARDIER BD700 GLOBAL EXPRESS (prefixo M-YSSF)

Registrado em: Ilha de Man (Cancelado em 4 de março)

Último local registrado: Moscou, Rússia em 5 de março

CHRISTIAN CHARISIUS/PICTURE-ALLIANCE/GETTY IMAGES
CHRISTIAN CHARISIUS/PICTURE-ALLIANCE/GETTY IMAGES

Helicóptero AgustaWestland AW139

Helicóptero AGUSTAWESTLAND AW139 (prefixo VP-CMF)

Registrado em: Ilhas Cayman

Último local registrado: Mahé, Seychelles em 9 de março

Associado ao iate Nord de Mordashov

Victor Rashnikov

Sancionado por: UE

Cidadania: Rússia

Valor total estimado: US$ 50 milhões (R$ 252 milhões)

GULFTREAM G650ER (prefixo VP-BOT)

Registrado em: Bermudas

Último local registrado: Dubai, Emirados Árabes Unidos em 27 de fevereiro

Arkady Rotenberg

Sancionado por: UE, Reino Unido, EUA, Austrália, Canadá, Japão, Suíça

Cidadania: Rússia

Valor total estimado: US$ 15 milhões (R$ 75,6 milhões)

BOMBARDIER BD700 Global Express (prefixo M-MAVP)

Registrado em: Ilha de Man (Cancelado em 5 de março)

Último local registrado: Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos em 12 de março

Andrei Skoch

Sancionado por: UE, Reino Unido, EUA, Austrália, Canadá, Suíça

Cidadania: Rússia

Valor total estimado: US$ 40 milhões (R$ 201,6 milhões)

AIRBUS A319 (prefixo P4-MGU)

Registrado em: Aruba

Último local registrado: Perto de Nur-Sultan, Cazaquistão, em 6 de março

Alisher Usmanov

MIKHAIL SVETLOV/GETTY IMAGES
MIKHAIL SVETLOV/GETTY IMAGES

Alisher Usmanov

Sancionado por: UE, Reino Unido, EUA, Austrália, Canadá, Japão, Suíça

Cidadania: Rússia, Uzbequistão

Valor total estimado: US$ 370 milhões (R$ 1,8 bilhão)

AIRBUS A340-300 (prefixo M-IABU)

Registrado em: Ilha de Man (Cancelado em 3 de março)

Último local registrado: Tashkent, Uzbequistão, em 28 de fevereiro

Bloqueado pelo Departamento do Tesouro dos EUA em 3 de março

Universal Images/Getty Images
Universal Images/Getty Images

Airbus A340-300

HELICÓPTERO AIRBUS EC-175 (prefixo M-DLBR)

Registrado em: Ilha de Man (Cancelado em 3 de março)

Último local registrado: Le Castellet, França, em 13 de novembro de 2021

Associado ao iate Dilbar de Usmanov

Clive Brunskill/Getty Images
Clive Brunskill/Getty Images

Helicóptero e iate Airbus EC-175

Victor Vekselberg

Andrey Rudakov/Bloomberg
Andrey Rudakov/Bloomberg

Viktor Vekselberg

Sancionado por: EUA, Reino Unido, Japão

Cidadania: Rússia

Valor total estimado: US$ 90 milhões (R$ 453 milhões)

AIRBUS A319-115 (prefixo P4-MIS)

Registrado em: Aruba

Último local registrado: Saint-Louis, França, em 25 de fevereiro

Bloqueado pelo Departamento do Tesouro dos EUA em 11 de março

Dirk Daniel Mann/Alamy

Airbus A319-115

Mais sobre bilionários russos:

Ex-bilionário: banqueiro russo perde mais de R$ 25 bilhões em meio à guerra

Quem são os bilionários russos alvos de sanções dos Estados Unidos e da Europa?

Conheça os imóveis extravagantes dos bilionários russos alvos de sanções

Bilionários russos dão jeitinho profissional para escapar de sanções

Biden está à procura dos iates bilionários russos – veja onde eles estão

Abramovich voa para Moscou, e governo Espanhol confisca mais ativos do oligarca

Compartilhe esta publicação: